Reajuste da aposentadoria 2021 pode aumentar seu benefício

Na concessão de uma aposentadoria, pode acontecer do INSS cometer erros e o valor do benefício diminuir. Nesses casos, o segurado consegue aumentar o pagamento mensal ao solicitar uma revisão. Antes de pedir, vale entender como ocorre o reajuste da aposentadoria 2021 e quais as motivos para o procedimento.

Como ficou o reajuste dos aposentados para 2021?

Todos os anos, as aposentadorias e outros benefícios do INSS sofrem reajuste baseado na variação da inflação do ano anterior. Dessa forma, no reajuste da aposentadoria 2021, o piso do pagamento ficou em R$ 1,1 mil, que é o valor de um salário mínimo. Ao passo que o teto do benefício ficou em R$ 6.433.

Para conferir informações sobre o valor de seu benefício, o aposentado pode tirar o “Extrato de Pagamento de Benefício”. O serviço está disponível na plataforma Meu INSS, que pode ser acessada em site e aplicativo. No extrato, o beneficiário consegue ver o valor líquido e bruto, e também a data e o banco de pagamento.

Beneficiários podem conseguir novo reajuste de aposentadoria em 2021?

Além do reajuste anual previsto nos benefícios do INSS, os aposentados também podem conseguir aumentar o valor de sua renda mensal por meio de revisões de benefícios.

O serviço, que pode ser pedido no INSS, permite a reanálise da aposentadoria. Seja do valor concedido ou do tempo de contribuição considerado no cálculo do benefício. Bem como, em caso de apresentação de novos documentos. O aposentado pode pedir a revisão caso considere que o INSS cometeu algum erro em seu benefício.

Ademais, esse serviço também pode ser acionado nas situações em que for definida alguma regra nova após a concessão da aposentadoria. Pedidos desse tipo, também podem ser feitos por via judicial.

No início de maio de 2021, por exemplo, o INSS liberou o 9º lote da revisão do artigo 29. Cerca de 1,1 milhão de aposentados e outros tipos de beneficiários vão receber valores devidos. Esse reajuste partiu de uma ação civil pública que indicou um erro do INSS ao calcular benefícios por incapacidade concedidos entre 2002 e 2009, resultando em valores menores. O órgão faz o pagamento dessa revisão em lotes, que vão de 2013 a 2022.

Há o prazo de dez anos para pedir o reajuste da aposentadoria. O qual começa a contar a partir do mês seguinte ao primeiro pagamento recebido como aposentado.

Quais os tipos de revisão de aposentadoria do INSS?

Os segurados podem conseguir o reajuste de aposentadoria em 2021 por diferentes motivos, e desse modo aumentar o valor de seu benefício mensal. O tipo de revisão a ser solicitado varia de acordo com o problema encontrado no pagamento do benefício.

Sendo assim, nem toda pessoa que pedir a revisão vai conseguir o aumento de sua aposentadoria, afinal o INSS ou a Justiça pode ter a conclusão de que não houve erro na concessão do benefício. Por isso, vale conferir os detalhes e cálculo do benefício antes de pedir por uma revisão.

Então, conheça alguns tipos de reajuste da aposentadoria para saber se você tem direito ao aumento do benefício.

Revisão da vida toda

A revisão da vida toda é um tipo de reajuste da aposentadoria que permite que os aposentados incluam no cálculo do benefício as contribuições feitas antes de julho de 1994, o que pode aumentar o valor recebido mensalmente pelo INSS em alguns casos.

A medida foi autorizada em 2019 pela Justiça. Antes disso, era de que o INSS deveria considerar para o cálculo dos benefícios apenas as contribuições feitas no Plano Real, que passou a vigorar no ano de 1994.

Entretanto, no ano passado o Superior Tribunal de Justiça (STF) suspendeu os julgamentos referentes a esse tipo de revisão, até que o órgão julgue um recurso solicitado pelo INSS.

Revisão do teto

Esse tipo de reajuste faz referência ao teto do INSS, que é o valor máximo que a autarquia pode pagar nos benefícios. Essa revisão é destinada a pessoas que começaram a receber sua aposentadoria entre abril de 1991 e 31 de dezembro de 2003, bem como que tiveram direito a receber o teto previdenciário

Nos anos de 1998 e 2003, o INSS subiu o teto dos benefícios para valores acima da inflação. No entanto, não houve reajuste para quem já estava aposentado com o teto anterior, ao passo que só as novas aposentadorias passaram a contar com os limites atualizados.

Desse modo, a Justiça definiu que as pessoas que já estavam aposentadas também teriam direito ao teto. O INSS, passou então a pagar essa revisão de modo automático a todos que têm direito.

Revisão do artigo 29

Como já mencionamos, há a revisão do artigo 29 que terá o pagamento de seu último lote no ano que vem. Ela é devida para quem teve aposentadoria por invalidez concedida entre 2002 e 2009, quando o INSS não descartou 20% das menores contribuições ao calcular a média salarial dos segurados, o que acabou resultando na diminuição do valor do benefício. Esse reajuste também vale para concessão de auxílio-doença e pensão por morte, e também é conhecida como revisão dos auxílios.

*DCI