Com falta de fertilizantes, alimentos devem ficar mais caros

alimentos devem ficar mais caros

A crise energética da China está impactando a fabricação de fertilizantes. O país é o principal exportador de insumos agrícolas para o Brasil, por isso, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) chegou a mencionar uma possível crise de abastecimento de produtos em 2022.

Apesar disso, o pesquisador do FGV Agro, Felippe Serigati, disse à CNN que não há risco das gôndolas dos supermercados ficarem vazias. Ele aponta que a principal crise no Brasil não é a falta de alimentos, mas a falta de poder de compra.

“Não é falta de comida, é falta de renda. Veio a pandemia, deprimiu a renda de uma fração relevante da sociedade, principalmente dos mais pobres, e o pessoal teve que fazer cortes para adequar ao orçamento. Infelizmente parte destes cortes se deu entre os alimentos.”

Felippe acrescentou que em meio à pandemia, seja por motivos de câmbio, seja porque os preços das commodities internacionais passaram a operar em patamares mais elevados, os alimentos passaram a ficar mais caros no Brasil.