Para reduzir gastos após cortes, UFBA proíbe ligações de fixo para celular, desliga ar-condicionados e diminui uso de elevador

                                                        Foto : Dário Guimarães/Metropress

 

A Universidade Federal da Bahia (UFBA) informou, na quarta-feira (25), que implementou novas ações para diminuir as despesas operacionais, com a finalidade de continuar funcionando, após os cortes de recursos realizados pelo Governo Federal.

Entre as ações estão a proibição de realizar ligações telefônicas de fixo para celular, suspensão de obras e serviços, proibição de eventos a partir das 17h e nos fins de semana, redução no uso dos elevadores, além de desligamento de ar-condicionados.

Na terça (24), a universidade também teve o horário de funcionamento das bibliotecas alterado para os finais de semana. Além disso, duas delas deixaram de funcionar.

As principais medidas são:

  • Suspensão de aditivos contratuais de obras, aquisição de bens, serviços e locações que importem em aumento de valores nos contratos;
  • Suspensão de aquisição de materiais de consumo, exceto os destinados às atividades essenciais das unidades;
  • Suspensão de eventos a partir das 17 horas e em feriados e finais de semana, exceto os relacionados às atividades curriculares obrigatórias e outros que justifiquem o caráter excepcional;
  • Suspensão de concessões de passagens e diárias para participação em eventos, seminários e congressos, exceto para representação institucional e realização de concursos docentes;
  • Suspensão de ligações de telefone fixo para móvel e restrição de ligações interurbanas e internacionais;
  • Redução do uso de elevadores, ressalvado assegurar mobilidade de pessoas com deficiências;
  • Desligamento de aparelhos de ar-condicionado, exceto em espaços sem ventilação natural e em laboratórios, museus e bibliotecas onde sejam justificadamente imprescindíveis, contribuindo assim para a redução do consumo de energia elétrica e das despesas com manutenção;

A UFBA informou que a estratégia foi adotada após diálogo com as representações das categorias de trabalhadores, com o movimento estudantil e com os dirigentes de órgãos e das unidades acadêmicas.

*G1 Bahia