Dois meses após suspensão de aulas, governo da BA e prefeitura de Salvador ajustam educação das redes estadual e municipal

Dois meses após a suspensão de aulas por causa do aumento de casos de Covid-19 na Bahia, o governo do estado e a prefeitura de Salvador ainda procuram formas de fazer com que os alunos das redes estadual e municipal tenham seus seus problemas reduzidos durante o período de isolamento social.

O governador da Bahia, Rui Costa (PT), anunciou na manhã do dia 18 de março, em Salvador, a suspensão das atividades em todas as escolas do estado – incluindo as da rede particular – por 30 dias. Após o prazo, a suspensão das aulas presenciais foi prorrogada até 2 de junho.

Dois dias antes, o governador já tinha anunciado a suspensão das aulas em Salvador, Feira de Santana, Porto Seguro e Prado, cidades que já tinham casos confirmados da Covid-19. Naquele momento, o estado tinha 18 casos confirmados da doença e não havia registrado mortes.

Nesse período, não há ensino à distância na rede estadual de ensino.

De acordo com o governo, a reposição das aulas, englobadas nos decretos, será presencial na rede estadual de ensino. A redefinição do calendário escolar será dialogada com a União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), União dos Municípios da Bahia (UPB), Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Bahia (APLB), Conselho Estadual de Educação e universidades.

Por causa da suspensão, a Secretaria de Educação criou roteiros de estudos, com conteúdos para os ensinos Fundamental e Médio, Educação Quilombola, Indígena, de Jovens e Adultos e Educação Especial. O material é disponibilizado no Portal da Educação.

Ainda de acordo com o governo, os estudantes podem seguir o calendário semanal, dentro do cronograma sugerido. As atividades são explicativas, buscando contemplar tanto estudantes que têm acesso à internet quanto os que não têm. Cada semana é destinada a uma área de conhecimento diferente, e já são mais de 400 roteiros disponíveis.

A Secretaria de Educação da Bahia também afirmou que está ampliando os conteúdos da Plataforma Anísio Teixeira, no Portal da Educação. A ferramenta tem mais de 10 mil conteúdos digitais educacionais, como vídeos, jogos, sequências didáticas, áudios e as aulas do Ensino Médio com Intermediação Tecnológica (EMITEC), de todas as áreas do conhecimento.

Na plataforma foi agregado um canal com conteúdos produzidos por 12 instituições públicas de Ensino Superior da Bahia. Confira as faculdades que fazem parte da iniciativa:

  • Universidade Estadual da Bahia (Uneb)
  • Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs)
  • Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb)
  • Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC)
  • Universidade Federal da Bahia (UFBA)
  • Universidade Federal do Oeste da Bahia (Ufob)
  • Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB)
  • Universidade da Integração da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab)
  • Universidade Federal do Sudoeste da Bahia (UFSB)
  • Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf)
  • IF Baiano
  • Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia (IFBA)

Dentre as ferramentas disponíveis no Portal da Educação, também estão a plataforma da Fundação Getúlio Vargas (FGV) Ensino Médio e o Curso Enem Gratuito.

A SEC ainda colocou em prática o projeto Universidade para Todos (UPT) Estude em Casa, que oferta conteúdos no Portal da Educação, com o objetivo de estimular e motivar a preparação dos estudantes beneficiários do UPT para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

O UPT é realizado em parceria com as quatro universidades estaduais (UNEB, UEFS, UESC e UESB) e faz parte da política de acesso ao Ensino Superior.

As aulas dos alunos que integram a rede municipal de Salvador foram interrompidas no dia 18 de março. Até o momento, segundo a Secretaria Municipal de Educação (Smed), não há definição sobre recesso ou férias antecipadas.

De acordo com a Prefeitura, cerca de 33 mil alunos da rede municipal começaram, na última segunda-feira (18), a ter aulas virtuais diárias durante o período de quarentena.

A prefeitura esclarece que as aulas são voltadas para estudantes matriculados no Ensino Fundamental II e na Educação de Jovens e Adultos (EJA) II serão ofertadas gratuitamente através de um termo de cooperação com a Escola Mais – unidade de ensino de São Paulo que é referência em ensino digital para Fundamental II e Médio. As inscrições estão abertas e devem ser feitas no site.

O órgão informou que, para a Educação Infantil, a proposta é a publicação nas redes sociais, como também o envio de cards e vídeos diários com orientações às famílias sobre como interagir com as crianças, através de jogos, brincadeiras e experiências lúdicas, aproximando as crianças de situações cotidianas que produzem uma aprendizagem.

A secretaria informou que está preparando um plano de retomada das aulas em conjunto com as escolas particulares e as universidades de Salvador. Nesse plano, estão sendo avaliados diversos cenários, que dependem da data em que será possível realizar a retomada das atividades com segurança para os alunos, professores e todos os profissionais que trabalham na área da educação.

*G1




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *