“A escola deve ser acolhedora para todos”, afirma Rodrigo Hübner durante live sobre educação inclusiva em tempos de pandemia

“A escola inclusiva é aquela que acolhe a todos e persegue altas expectativas para cada um”.  Foi com esta ideia que o empreendedor social Rodrigo Hübner Mendes abriu sua palestra, realizada nesta quarta-feira (16), durante a live “A educação inclusiva em tempos de pandemia e a garantia dos direitos à educação”, promovida pela Secretaria da Educação do Estado da Bahia, por meio da Superintendência de Políticas para a Educação Básica e do Instituto Anísio Teixeira (IAT). A transmissão, realizada no canal do IAT no youtube, trouxe, além da palestra do ativista Rodrigo Hübner Mendes, as participações do subsecretário da Educação, Danilo Melo, entre outras autoridades.

O palestrante, que é fundador do instituto que leva seu nome, pontuou que tem buscado experiências positivas de educação inclusiva dentro e fora do território brasileiro. “Me aproximo dos estudantes, dos educadores, mas também dos gestores, dos secretários da Educação, que são responsáveis pela implementação da política de educação inclusiva”. 

Entre as experiências, Rodrigo Hübner Mendes lembrou o caso de uma escola em Boston (EUA). “O que existe lá é uma cultura que fortalece a crença de que o estudante não pode desistir, independentemente da sua condição. A equipe pedagógica precisa estar junto nessa jornada e nessa aposta de alcançar altas expectativas”, completou.

Representando o secretário da Educação Jerônimo Rodrigues, o subsecretário Danilo Melo destacou que o governo está discutindo investimentos em padrões construtivos escolares com foco em acessibilidade. “Principalmente quando temos uma rede com infraestrutura de escolas centenárias”.  O gestor ainda citou a educadora Eunice Alencar e disse que discutir o tema da inclusão é um convite à humanização. “Um convite à humanização dos educadores, dos estudantes, dos currículos. Isso é uma questão urgente e fundamental se nós pensarmos em democracia, em uma escola para todos”.

A diretora geral do Instituto Anísio Teixeira, Cybele Amado de Oliveira, agradeceu a presença do palestrante e desejou uma escola ainda mais acolhedora. “Que possamos trazer o direito de aprender para todos os nossos estudantes, crianças, jovens e adultos. Que a escola possa acolher a todos, com todas as dificuldades que tenhamos ou não”.

Representando o secretário da Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS), Carlos Martins, o superintendente dos Direitos das Pessoas com Deficiência, Alexandre Baroni, ressaltou a importância da discussão do tema.  “Entendemos que a educação é um direitos de todos e aqui, na Bahia, temos avançado muito para que as pessoas com deficiência tenham seus direitos garantidos também na área da educação”, disse.

Manuelita Brito, superintendente de Políticas para a Educação Básica da SEC, informou que a rede estadual de ensino da Bahia possui cerca de 11 mil estudantes com alguma deficiência em 1.047 escolas. “A educação especial é especial porque dentro dela existem as particularidades. A pandemia nos traz um novo desafio com a educação inclusiva, mas também nos traz possibilidades de incluir mais”.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *