Avaliação do ensino médio brasileiro melhora, mas segue distante da meta

Apesar de ter melhorado na avaliação do Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica), o ensino médio brasileiro não atingiu a meta estabelecida para 2019 —e segue distante dela. Os dados, divulgados hoje pelo Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), mostram que, em comparação com 2017, o Ideb do ensino médio no Brasil foi de 3,8 para 4,2. —numa escala de zero a 10. O valor, no entanto, ainda fica longe do Ideb proposto para 2019, de 5,0.

O resultado inclui tanto a rede pública como a rede privada de ensino. Até 2017, as escolas técnicas estaduais não participavam do Ideb. O MEC não esclareceu se, nesta edição do indicador, essas escolas foram incluídas na avaliação. Quanto mais alto o número do Ideb —principal indicador de qualidade da educação básica no país—, melhor o resultado. Antes de chegar a 3,8 em 2017, o Ideb do ensino médio brasileiro ficou estagnado em 3,7 de 2011 a 2015.

O Ideb é composto por dois tipos de dados: as taxas de aprovação, fornecidas pelo Censo Escolar, e o desempenho dos alunos no Saeb (Sistema de Avaliação da Educação Básica), que avalia o conhecimento em língua portuguesa e matemática. O indicador é divulgado a cada dois anos e traz uma radiografia da qualidade dos anos iniciais (1º ao 5º ano) e finais (6º ao 9º ano) do ensino fundamental, assim como do ensino médio.

Desempenho dos estados

Entre as 27 unidades federativas do país, apenas Goiás alcançou a meta estabelecida para o estado na etapa do ensino médio, considerando as redes pública e privada, que era de 4,8. O valor é também o alcançado pelo Espírito Santo, cuja meta era 5,3. Os dois estados apresentam o melhor desempenho no ensino médio no país, segundo o Ideb.

Fonte: UOL




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *