APLB afirma que professores estaduais farão ‘greve remota’, se aula presencial for obrigatória na Bahia

Foto: Divulgação / APLB

Enquanto cresce o debate em torno da volta às aulas, o Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Bahia (APLB) já decretou: os docentes só retornarão se forem vacinados contra a Covid-19. Se as atividades presenciais forem retomadas sem atendimento a esta condição, haverá ‘greve remota’.

“Não pode ter aula presencial sem vacina. É inadmissível um país onde todo dia morrem mais de mil pessoas, a gente querer discutir aulas presenciais. Isso é um crime! E ainda tem pessoas que não querem tomar vacina e querem aula presencial, é [ideia de] quem nunca pisou em uma escola e não entende de educação”, afirma o coordenador-geral do sindicato, Rui Oliveira.

Para ele, sem vacinação é impossível iniciar o esquema de aulas presenciais. O coordenador-geral aponta que a rede estadual de ensino é um dos principais locais de contaminação de Covid-19.

Rui também mencionou as escolas do município. “Boa parte delas só tem um sanitário. Você acha que criança fica parada? Que não vai tirar a máscara? Claro que vai! É um local de contaminação de Covid”, argumenta.

Para Rui Oliveira, é preciso que as gestões municipal e estadual consultem a população. “Faça uma pesquisa e pergunte se os pais vão querer mandar os filhos para escola. O Enem [Exame Nacional do Ensino Médio] teve o maior índice de abstenção já visto, estudantes com medo da Covid. Será que esse povo não enxerga isso? Isso é um aviso. É um absurdo falar em aula presencial, nós temos 40 mortos por dia na Bahia, índice de contaminação altíssimo, o terceiro estado com maior número de contaminação”, argumenta.

A APLB fará uma reunião, as 9h desta sexta-feira (5) com a diretoria do sindicato para discutir o assunto. Já a partir da semana que vem, mais precisamente na quarta-feira (10), a entidade se reúne com a Prefeitura de Salvador, que anunciou a retomada das aulas remotas a partir de 18 de fevereiro. Ainda não há data definida para atividades presenciais.

Debate acirrrado

O retorno das aulas na Bahia está em pauta nos últimos dias. Em plena pandemia, as atividades estão retornando a passos lentos, mas há entidades e políticos defendendo a retomada.

Em entrevista à Rádio Metrópoles, na terça-feira (2), o deputado estadual Alan Sanches (DEM) afirmou que o ano letivo dos baianos foi perdido devido à Covid-19 e defendeu uma retomada em esquema de rodízio.

Já o governador da Bahia, Rui Costa (PT), disse na quarta-feira (3) que as aulas voltarão antes da maioria da população ser vacinada, mas ainda não há uma data definida.

*MI