Maioria dos brasileiros são contra aulas presenciais durante toda a pandemia, diz Datafolha

Maioria dos brasileiros são contra aulas presenciais durante toda a pandemia, diz Datafolha


Mesmo com a liberação para que as escolas tenham aulas presenciais, 46% dos brasileiros afirmam que as unidades deveriam ficar fechadas durante toda a pandemia. É o que aponta pesquisa Datafolha divulgada nesta terça-feira (18) pelo jornal Folha de S. Paulo.

Ainda de acordo o levantamento, outros 28% se mostraram favoráveis à abertura parcial dos colégios, enquanto 18% concordaram com o fechamento apenas durante as fases mais restritivas da pandemia. Atualmente, a maioria das redes de ensino possui autorização para realizar aulas presenciais, ainda que em esquema híbrido.
A manutenção das aulas presenciais tem sido alvo de calorosas discussões entre pais, docentes e gestores públicos desde o início da pandemia. Enquanto parte afirma que o ambiente escolar é favorável à contaminação de funcionários e alunos, a outra defende a necessidade da escola aberta, principalmente para alunos mais vulneráveis e àqueles que sofrem danos emocionais e de aprendizagem em razão da reclusão.

O Datafolha entrevistou presencialmente 2.017 brasileiros, com 16 anos ou mais, em todas as regiões do país, nos dias 11 e 12 de maio. A margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos, e o nível de confiança é de 95%.

O tópico tem sido alvo de discussão em toda a pandemia. Enquanto uma parte diz que a retomada das aulas presenciais pode ser um fator de aumento de circulação do coronavírus na comunidade, outros defendem a escola aberta, sobretudo em função do acolhimento dos alunos mais vulneráveis e sem acesso digital ou tecnológico para os estudos.
Já os professores defendem que precisam da vacina para voltar ao trabalho presencial. Segundo a coordenadora do Programa Nacional de Imunização, Francieli Fantinato, os trabalhadores da educação básica e superior devem ser vacinados de junho a setembro.

A maior resistência à volta das atividades escolares presenciais, mostrou o levantamento, foi encontrada entre as mulheres, com 48% (ante 43% nos homens), bem como entre os entrevistados com menor grau de escolaridade e renda.

Cinco em cada dez (53%) dos que cursaram até o ensino fundamental são a favor do fechamento de escolas durante o período de quarentena imposto pelo coronavírus. Esse índice cai a 41% entre os com nível superior.

A opção pelo fechamento de escolas também é majoritária na parcela com renda mensal familiar de até dois salários mínimos, com 48% —taxa que cai a 33% nos com renda de cinco até dez salários mínimos.