Segundo avaliação da APLB, retorno às aulas presenciais na rede estadual ocorre com baixa adesão de professores e alunos

Foto: reprodução

Segundo a avaliação da APLB-Sindicato, a maioria dos professores e alunos decidiu não retornar às aulas presenciais na rede estadual baiana. Nesta segunda-feira (9) houve pouca adesão à volta anunciada pelo governador.

“Na capital e interior os pais não estão mandando os filhos para as escolas estaduais. Ainda estamos sob risco de contaminação e nossas escolas não estão preparadas para reabrirem. Esperamos que o bom senso prevaleça e o governador siga o mesmo acordo feito com a categoria pela prefeitura de Salvador”, disse Rui Oliveira, coordenador-geral da APLB.

Na última sexta-feira (6), em encontro virtual com a APLB, os educadores decidiram manter as aulas remotas até que o ciclo de imunização dos trabalhadores de ensino esteja completo.

De acordo Rui, na próxima quarta-feira (11) haverá reunião entre a APLB e os secretários de governo, Jerônimo Rodrigues (Educação) e Luiz Caetano (Relações Institucionais) para retomar as negociações sobre a volta presencial. A entidade também busca na justiça a manutenção das aulas online, sem prejuízos salariais para os professores, até que a situação seja resolvida.

 

Rede Municipal

 

Semana passada, a Prefeitura de Salvador e a APLB chegaram a um acordo para a volta às aulas presenciais na rede municipal. Entre os dias 9 e 20 de agosto, os professores estarão nas escolas para cumprimento das jornadas de trabalho e elaboração do planejamento pedagógico. A retomada das atividades em sala de aula com os alunos ficou definida para acontecer a partir do dia 23 de agosto.

*APLBSindicato