Jovem ferido durante atentado em Nova York relata correria: ‘Podia ter sido pior’

estudante

Um jovem americano narrou, neste domingo, os momentos de terror que viveu ao se ferir durante a explosão de uma bomba em Chelsea, em Nova York (EUA). Harris Gordon, de 22 anos, conta que voltava de um jantar, na noite deste sábado, acompanhado de três amigos, quando o artefato estourou, deixando-o com ferimentos nas costas e na barriga. Autoridades locais investigam a participação de terroristas no ataque, que deixou, ao todo, 29 feridos. As informações são do jornal “Daily Mail”.

“Era uma noite normal. Aconteceu tudo muito rápido. Do nada, havia fumaça. Eu vi fogo e vidros caindo. Eu e meus amigos corremos”, lembra o jovem universitário sobre os momentos seguidos à explosão da bomba. “Depois de correr, eu e meus amigos paramos para nos olhar e encontramos ferimentos em nós mesmos”, conta.

Gordon diz que, nervoso, não havia notado que tinha se machucado. “Eu tive um corte nas minhas costas feito por um caco de vidro. Eu não senti nada até que alguém me mostrou (o corte)”, diz o estudante, que acredita ter tido sorte em se salvar: “Eu realmente fico grato das coisas terem sido dessa forma. Poderia ter sido muito pior. Eu me sinto um pouco desconfortável (por causa dos machucados), mas isso não é nada”, acrescenta.

Além de Gordon, seus amigos também se feriram, mas todos sem gravidade. Eles foram todos levados para o mesmo hospital da região, de onde serão liberados nas próximas horas. O estudante diz que planeja descansar nos próximos dias.

Segundo o governador de Nova York, Andrew Cuomo, a explosão foi um ato de terrorismo que, aparentemente, não tem conexões internacionais. “Vamos descobrir quem colocou estas bombas e eles serão levados à Justiça”, disse ele, que acrecentou: “Uma bomba explodindo em Nova York é, obviamente, um ato de terrorismo, mas não está ligado ao terrorismo internacional. Em outras palavras, não encontramos nenhuma conexão com o Estado Islâmico. Mas a explosão de uma bomba é genericamente uma atividade terrorista. É assim que vamos considerá-la”.

Desde sábado à noite, autoridades fazem perícia na região para descobrir mais detalhes sobre a fabricação da bomba, que seria caseira, e sobre quem a depositou no bairro elegante.

A segurança em toda a cidade e, principalmente em pontos de grande concentração de pessoas, como os aeroportos, tiveram a segurança reforçada por tempo indeterminado.