Algoritmo do Twitter impulsiona mais conteúdo de direita do que de esquerda

 

O Twitter divulgou esta semana o resultado de uma pesquisa feita em sete países sobre o impacto do seu algoritmo no impulsionamento de conteúdo político publicado por figuras públicas eleitas.

A pesquisa analisou milhões de tuites publicados entre 1º de abril e 15 de agosto de 2020 no Canadá, França, Alemanha, Japão, Espanha, Reino Unido e Estados Unidos. Em seis dos sete países (todos menos a Alemanha), as mensagens postadas por contas da direita receberam mais amplificação algorítmica do que as da esquerda.

Desde 2016, há duas formas de visualizar as postagens no Twitter. O usuário pode optar pela apresentação cronológica ou pela ordenação segundo os tuites “em destaque “, ou seja, indicados pelo algoritmo. Para realizar a pesquisa, comparou-se a amplificação dos comentários feitos por políticos nos dois modelos de “linhas do tempo”.

A primeira constatação foi que tuites com conteúdo político de autoridades eleitas, independentemente do partido ou se o partido está no poder, são mais impulsionados pelo algoritmo na comparação ao conteúdo político na linha do tempo cronológica. E a segunda constatação foi que os tuites dos políticos de direita são mais amplificados que os de esquerda.

Por que isso ocorre? O Twitter não sabe. “Nesse estudo, identificamos o que está acontecendo: determinado conteúdo político é amplificado na plataforma. Estabelecer por que esses padrões observados ocorrem é uma questão significativamente mais difícil de responder, pois é um produto das interações entre as pessoas e a plataforma”, diz o texto da pesquisa.

*Reportagem Maurício Stycer/UOL