Eduardo Bolsonaro critica anúncio da DC Comics que tem personagem LGBT

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) está incomodado com a bissexualidade de um personagem de ficção, o adolescente Jon Kent, que assumiu, nos quadrinhos da DC Comics nos Estados Unidos, o lugar do pai como o herói Superman.

No dia em que a editora norte-americana de quadrinhos informou que o personagem, filho do Superman original, Clark Kent, com seu eterno amor, Lois Lane, está descobrindo que gosta de beijar meninas e meninos, um dos herdeiros do presidente da República foi às redes sociais fazer seu protesto, lembrando ainda casos de outros super-heróis que saíram do armário recentemente, como Robin, o garoto-prodígio do Batman, também da DC Comics.

Imagem de divulgação publicada pela DC Comics

“Vários desses super-heróis inspiram adolescentes e crianças. Mas o problema é o garoto de policial, né?”, questionou Eduardo Bolsonaro, aproveitando para se queixar das críticas – inclusive da ONU – às oportunidades em que seu pai exibiu crianças fardadas e segurando armas de brinquedo.

Nas redes
A revelação de que Jon Kent, que nasceu, cresceu e foi desenvolvendo os poderes herdados do pai alienígena ao longo de vários números do quadrinho do Superman nos EUA, tendo assumido o lugar do pai na luta contra o crime há poucos meses, foi feita pelo roteirista Tom Taylor nesta segunda.