Câmara: Conselho de Ética analisa denúncias por brigas entre deputados

Colegiado iniciou a tramitação de cinco representações contra parlamentares

Foto: Reprodução

O Conselho de Ética da Câmara está protagonizando diversos bate-bocas e agressões físicas entre parlamentares. Entre o início do mês de maio e junho, o colegiado iniciou a tramitação de cinco representações contra deputados. Ao todo, três são referentes a brigas dentro das dependências do Congresso.

Apesar de já ser algo comum na Casa, as confusões se intensificaram muito nos últimos meses. Na última semana, os deputados André Janones (Avante-MG), Éder Mauro (PL-PA) e Nikolas Ferreira (PL-MG) trocaram empurrões em um dos plenários da Casa, e precisaram ser contidos pela Polícia Legislativa.

Já na última quarta, 5, a deputada Luiza Erundina (PSOL-SP), que tem 89 anos, precisou ser hospitalizada após passar mal em meio a uma discussão na Comissão de Direitos Humanos da Câmara.

Também na semana passada, a deputada Erika Hilton (PSOL-SP) protagonizou uma discussão com Júlia Zanatta (PL-SC) e acabou sendo alvo de ataques por parte de Nikolas, que se intrometeu na briga.

Agressões envolvendo o deputado Glauber Braga (PSOL-RJ), que chutou um membro do Movimento Brasil Livre (MBL) em abril, após desentendimentos na Câmara, também ocorreram no local.

Apenas Glauber Braga é alvo de duas das representações em tramitação no Conselho de Ética. Uma das denúncias foi apresentada pelo Partido Novo, que alega quebra de decoro parlamentar por parte de Glauber no caso envolvendo o membro do MBL.

A representação ainda não teve relator definido pelo presidente do Conselho de Ética, Leur Lomanto Jr. (União-BA).

A segunda representação contra Glauber foi protocolada pelo PL. O partido acusa o parlamentar de agredir fisicamente o deputado Abílio Brunini (PL-MT) durante uma reunião da Comissão de Direitos Humanos, em novembro do ano passado.

A denúncia tem relatoria de Ricardo Ayres (Republicanos-TO), que ainda não apresentou parecer.

O Conselho também investiga uma denúncia contra a deputada Fernanda Melchionna (PSOL-RS), protocolada pelo PL. A sigla acusa a parlamentar de ter ofendido familiares do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) em uma sessão da Comissão de Segurança Pública.

A relatoria do caso é do deputado Júlio Arcoverde (PP-PI), que recomendou arquivamento da denúncia. O colegiado ainda precisa deliberar sobre o parecer de Arcoverde.



Veja mais notícias no blogdovalente.com.br e siga o Blog no Google Notícia