SAJ: moradores questionam caso de COVID-19 na Viriato Lobo e duvidam da capacidade desastrosa da doença

Foi anunciado no último dia 1º o primeiro caso confirmado de COVID-19 em Santo Antônio de Jesus. Na mesma oportunidade, foi anunciado também que o paciente se tratava de uma pessoa idosa, diabética, e tinha residência na Rua Viriato Lobo. A identidade do paciente não foi divulgada com mais detalhes pois segundo o secretário de Saúde de Santo Antônio de Jesus em contato com o Blog do Valente, Leandro Lobo, existem regras legais que impedem a divulgação dos nomes, por todas as situações que podem vir em consequência de se revelar essa identidade. Caso divulgado, devido ao temor geral das pessoas com relação à pandemia, outros problemas poderiam ser registrados.

Através de um áudio que circula nas redes sociais, um grupo de moradores da Rua Viriato Lobo questiona a veracidade da informação de que a vítima residia naquela rua. Utilizando argumentos de que nenhum morador sabia confirmar quem era exatamente o contaminado, um homem questiona a informação dada pelo prefeito Rogério Andrade.

No áudio, uma primeira voz questiona “povo da Viriato Lobo, tem algum caso de coronavírus chinês[assim ele denominou o COVID-19] aqui na Viriato Lobo? Alguém sabe quem é ou sabe de alguma coisa? ”. Uma segunda voz responde “Até agora no momento não”…”Sexta-feira, 20 minutos para as 15h e não to vendo caso nenhum”. Uma outra voz concorda.  Em seguida, o autor da primeira fala diz “Então é isso, o prefeito precisa dizer o nome e o endereço local. A gente não quer mentira não, a gente quer combater o coronavírus chinês, mas não vem pra cá fazer o povo de bobo não”.

Ainda em seguida, o mesmo dar a entender que duvida da gravidade da doença alertada em todo o mundo. “Prefeito, o povo da Viriato Lobo quer saber quem é o doente e até o endereço loca, até para o povo poder se proteger, já que esse vírus é esse monstro todo, é tal [em tom de descrédito] …. Ninguém sabe, estou aqui na Viriato lobo de ponta a ponta e ninguém sabe deste caso”.

“Se eu não sei quem é eu vou continuar transitando na Viriato Lobo”, completou uma outra pessoa no áudio.

“Eu acho que é politicagem [sobre a confirmação do primeiro caso]”, disse um outro que discordou do fechamento do comercio totalmente em Santo Antônio de Jesus.

Na sociedade

Além de não ser permitida legalmente a divulgação dos nomes dos pacientes de COVID-19 sem sua autorização, essa atitude pode fazer com que o diagnosticado se torne alvo de ofensas, informações falsas e até ameaça de mortes, como tem acontecido ultimamente no Brasil.

Como conta o site Agência Pública, no dia 7 de março, quando a pandemia do coronavírus tinha acabado de chegar ao Brasil, Jeferson* foi a um casamento na Bahia, estado que havia acabado de confirmar seu segundo caso, dentre os 19 confirmados então. Quando voltou para sua cidade, no interior de São Paulo, ficou sabendo que três pessoas que foram no evento estavam infectadas com o vírus. Imediatamente, fez o exame para COVID-19 e se colocou em isolamento, interrompendo suas atividades de trabalho. Além disso, também publicou em suas redes sociais um vídeo com esclarecimentos sobre seu estado de saúde para informar a família e os amigos.

A resposta foi virulenta e imprevisível. Seu vídeo circulou em grupos de Whatsapp e Facebook, acompanhado de acusações de que estava espalhando o vírus pela cidade de 115 mil habitantes e desrespeitando a quarentena. “Surgiu muita coisa, pessoas falando que me viam na rua, e era mentira. Inventaram que eu estava na UTI, entubado, muita falação… Eu fiz tudo certinho, mas realmente teve muita invenção”, conta. A notícia do jornal local sobre o caso recebeu de 300 comentários no Facebook, entre eles: “Manda esse bosta pra PQP”; “É um total irresponsável”; “O doutor playboyzinho vai no casamento na casa do caralho e vem trazendo o vírus.” Enquanto ainda estava em isolamento, ele recebeu uma ligação no interfone de seu apartamento de um vizinho, que não se identificou. “Ah, se eu te ver no corredor… Fica esperto!”, dizia a ligação.

Alguns dias depois, saiu o resultado negativo do exame. Mas os ataques continuaram. “É um babaca que saiu anunciando que estava infectado e deixando a população assustada”; “Queria fama”.

“Foi um alívio quando saiu o resultado negativo. Mas continua tendo muita conversa”, contou à Agência Pública.