SAJ: Sobe para sete os casos positivos para covid-19 na Natulab, diz Correio da Bahia

Subiu para sete o número de funcionários da empresa Natulab, com sede no município de Santo Antônio de Jesus, no Recôncavo baiano que testaram positivo para a covid-19. A informação foi dada pelo dirigente sindical Alfredo Santos Júnior ao Correio da Bahia.

De acordo com o sindicalista, nessa segunda-feira, 25, representantes do Sindiquímica, infectologistas da Universidade Federal da Bahia, representantes do Centro Estadual de Referência em Saúde do Trabalhador  (Cesat) , da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa) e da direção da empresa se encontrarão numa reunião virtual, pela manhã, para buscar um consenso sobre as ações de contingenciamento da situação no município.

Para ele, na medida em que a empresa explicitar o plano de contingenciamento, a tendência é que a população local fique mais calma e menos apreensiva com a situação de contaminação. “A Natulab é uma empresa grande, espaços como os refeitórios, por exemplo, precisam estar submetidos a escalonamento de uso e abastecidos de barreiras físicas que impeçam a contaminação de quem está no local”, pontua.

A funcionária da Natulab e representante do Sindiquímica na região, Cláudia Souza diz que além do medo da contaminação pelo novo coronavírus, os colegas ainda precisam lidar com o preconceito e a discriminação dos próprios familiares. “Os parentes dos funcionários da fábrica estão sendo afastados de outras frentes de trabalho e isolados como se fossem agentes transmissores”, conta, afirmando que a testagem minimizaria os danos causados a essas pessoas.

Cláudia diz que algumas medidas de proteção foram incrementadas na unidade, como o uso do álcool em gel e do distanciamento entre funcionários. “O uso de máscaras e luvas já era feito em virtude da natureza do trabalho”, explica.

Na última quarta-feira, 20, a fábrica de medicamentos e suplementos alimentares foi fechada por autoridades municipais, depois que quatro funcionários testaram positivo para a covid-19. De acordo com a advogada Grace Matos, que reside em Salvador, mas desde o início da quarentena está com os familiares na cidade, o fechamento da fábrica ocorreu no meio da tarde e gerou muita tensão, pois a direção alegava que não poderia parar os processos químicos já iniciados sob risco de enorme prejuízo.

Fonte: Correio




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *