Caso da explosão de fogos na fábrica clandestina em SAJ é matéria no site UOL

O caso da explosão da fábrica de fogos em Santo Antônio de Jesus é manchete no site Uol. A explosão da fábrica clandestina de fogos deixou 64 pessoas mortas no dia 11 de dezembro de 1998 e até hoje as famílias têm buscado indenização na justiça. Na matéria do Uol cita o caso de duas irmãs de prenome Fabiana, 14 anos e Adriana de 15 anos, que perderam suas vidas na tragédia. Para Rosângela Santos Rocha, 41 anos, irmã das vítimas, “não foi tragédia, mas um crime”. De acordo com o Uol, na fábrica trabalhavam 22 crianças, sendo a mais nova com 9 anos de idade, jovens e mulheres em condições ilegais.

“Segundo a organização não-governamental Justiça Global, que há 20 anos trabalha com direitos humanos, o Estado brasileiro foi negligente ao reparar as vítimas e responsabilizar os criminosos. Por isso, ela levou o caso aos tribunais internacionais.

Em 2001, a ONG e outras entidades apresentaram o caso à Comissão Interamericana de Direitos Humanos da OEA (Organização dos Estados Americanos), que reconheceu responsabilidade do Brasil por violação do direito de crianças e adolescentes, do direito trabalhista e por negligência em relação aos mortos e feridos. O Brasil assumiu o compromisso de reparar financeira e moralmente as famílias, mas não cumpriu o acordo de forma integral”, diz trecho da matéria.

O Movimento 11 de Dezembro têm realizado manifestações em busca de justiça. No ano passado, o movimento se reuniu em frente ao Fórum de Santo Antônio de Jesus e realizou caminhada em Salvador (veja aqui).




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *