SAJ: Ciganos que brigaram são da mesma família, afirma delegado; duas pessoas morreram

Adilson Bezerra

Som alto motivou discussão entre ciganos que deixou dois mortos no fim da tarde desta segunda-feira (7), em Santo Antônio de Jesus.

Em entrevista ao repórter Antônio Carlos, o delegado Dr. Adilson Bezerra explicou que a confusão começou quando um cigano sentiu-se desrespeitado, pois seu pai faleceu recentemente e estavam com som alto. “É tradição deles ficar de luto por 6 meses a 1 ano quando um cigano de um acampamento vem a óbito. Ontem fazia 5 meses e um grupo, do mesmo acampamento, mas da família rival, começou a fazer uma festa, com som alto e bebidas, o que para a família em luto era um desrespeito inaceitável”, detalhou, relatando ainda que o cigano ofendido foi até a casa que estava ocorrendo a festa, teve uma breve discussão e disparou os tiros.Três ficaram feridos, sendo que Adriano Dourado, de 27 anos, não resistiu aos ferimentos e morreu no hospital.

Em retaliação aos primeiros disparos, a senhora Hélia Rodrigues, de 52 anos, foi baleada e morreu na hora. Os atiradores estão foragidos, mas a polícia afirmou que já tem os nomes. “São dois eventos separados, embora correlacionados, ocorridos em poucos minutos de um para o outro”, disse o delegado.

De acordo o delegado, os ciganos eram rivais há 4 anos, quando se desentenderam por causa de empréstimos a juros.