Programa do Valente: Diretor da Romastur fala sobre as queixas de usuários em relação ao transporte público em SAJ

 

Programa do Valente: Diretor da Romastur fala sobre as queixas de usuários em relação ao transporte público em SAJ

O transporte público em Santo Antônio de Jesus tem enfrentado embates no que diz respeito da qualidade do serviço, quantidade de veículos escalonados, queixas sobre atrasos, superlotação em época de pandemia e o aumento da tarifa.

No Programa do Valente desta terça-feira, o diretor da Romastur, Manassés Rocha, falou sobre o assunto em um bate-papo com o radialista Léo Valente.

Manassés Rocha falou a princípio sobre os horários dos ônibus e conforme explicou, a Romanstur foi contratada pela prefeitura em caráter emergencial com uma frota de apenas dez veículos e afirma que esta era a mesma quantidade de ônibus ofertada pela empresa anterior.

“A empresa começou a atuar com 11 veículos, com a segurança de que este extra seria o nosso veículo reserva. Nós percebemos que aquela frota não era suficiente para atender a demanda, contudo, mesmo a empresa operando em regime de contrato especial trouxemos mais veículos para atender melhor a população”, informou.

 

Reajuste no valor da tarifa

“Tínhamos uma diferença entre o valor do diesel e da tarifa de R$ 0,90. Atualmente a metodologia que a Petrobrás usa para o reajuste do combustível impacta muito, hoje a diferença é de R$ 2,30. Já chegamos a pagar um valor absurdo no litro de diesel. Então essa diferença tem que ser repassada. A Empresa adquiriu mais veículos, com 17 ônibus ativos, com 5 linhas e que precisam de manutenção periódica. O aumento no combustível e o reajuste do salário mínimo impactaram na tarifa paga pela população”, explicou.

 

Com o aumento da tarifa, que passou de R$ 3 para R$ 3,50, é esperado que a qualidade do serviço seja melhorada, tanto em lotação quanto a oferta de mais horários. No entanto, Manassés informou que antes da proposta do aumento da tarifa foi feito um estudo econômico de impacto, tanto para o usuário quanto para a empresa.

“Contratamos um contador para analisar a situação e feito um estudo. A prefeitura também tem acesso a todas as contas, tendo em vista de que a empresa é privada, mas o transporte é público. Esse valor de R$ 3,50 não é o ideal, mas ajuda. Em contrapartida, estamos negociando com a prefeitura um recadastramento dos passes de gratuidade. A empresa identificou uma quantidade de passes falsos, de muitas pessoas que não necessitam e estão fazendo uso disso. Quem tem direito é indiscutível tê-lo, mas há aqueles que não existe nenhuma deficiência ou adquiriram o passe de forma política além dos passes falsificados”, arguiu.

 

Reajuste a atrasos nos salários de funcionários

O diretor falou ainda sobre o salário dos motoristas e outros funcionários. Conforme informou, os soldos estão sendo pagos em dia e houve reajuste na folha de pagamento de 100% dos servidores, no entanto, afirmou que em algum momento houve atrasos pontuais, principalmente na transição de final de ano.

“Dezembro é um mês bastante complicado para qualquer empresa. Por conta do 13º salário, folha de pagamento dobrada e a defasagem da tarifa, houve esse pequeno atraso, no entanto, a empresa honrou seus compromissos com seus colaboradores, com salários e 13º em dia. 100% dos funcionários estão com seus salários depositados de forma pontual”, garante.

Além do reajuste nos salários de todos os funcionários, o diretor da Romastur disse também houve um acréscimo no salário dos motoristas, o que, para ele, pode originar um melhor desempenhos dos colaboradores.

“Aplicamos o aumento do salário proposto pelo governo a todos os funcionários e com o reajuste da tarifa, foi reajustado também o salário dos motoristas. Também iremos contratar um profissional para ministrar cursos de atendimento ao público, porque acreditamos ser importante este relacionamento entre nossos funcionários e usuários”, salienta.

 

Ampliação de novas linhas e lotação nos ônibus

Segundo informou o diretor da empresa, uma das implicações da prefeitura em relação à nova tarifa foi a inclusão de novas linhas como o bairro do Casco e Maria Preta. Para Manasses, estas linhas são consideradas sociais por não haver ali rendimento suficiente para manutenção do veículo destinado para rodar nestas duas áreas.

“Sem faturamento eficiente então temos que tirar de um para suprir outro. Os moradores do Casco e Maria Preta breve terão ônibus disponíveis para atender este destino”, disse.

Em relação à pontualidade nos horários, o que para muitos usuários, é o meio de transporte para seu local de trabalho, Manassés disse haver uma programação de cerca de 20 minutos em cada linha, e um aplicativo para horários e rotas dos ônibus estará disponível para a população.

 

Contratação de novos funcionários

A empresa Romastur está com processo seletivo aberto para motoristas. Os interessados deverão se dirigir ao escritório da empresa  próximo ao ponto de transbordo na Feira livre munidos dos seguintes documentos:

  • CNH categoria D;
  • Habilitação para condutor profissional (que deve estar especifico na CNH);
  • Curso para condutor de passageiros certificado (curso oferecido pelo SEST SENAT).

Confira a entrevista completa: