SAJ: empréstimos de R$46 milhões é aprovado pela Câmara de Vereadores

Câmara de SAJ realizará Sessão Especial em alusão ao Agosto Lilás
Imagem: Divulgação

O empréstimo de R$46 milhões de reais solicitado pela prefeitura para reforma da feira livre de Santo Antônio de Jesus foi aprovado pela Câmara de Vereadores na noite desta segunda-feira (23) durante sessão. O empréstimo vinha dividindo opiniões, e foi motivo de diversas discussões na Câmara. Votaram contra a aprovação os vereadores Cuiuba, Ito da Kanal Mix, Uberdan Cardoso, Délcio Mascarenhas e Mourão.

“Em momento algum os feirantes tiveram a garantia que caso este empreendimento seja construído eles retornariam para seu local. Isto verbalmente foi dito, mas cadê o documento disso? Existe um exemplo muito grande disse aqui na cidade que é a Praça Padre Mateus quando foi feito o projeto disse que os vendedores iam voltar, e não voltaram”, disse o vereador Cuiuba em desfavor ao empréstimo.

O vereador também questionou o uso do recurso para a realização de apenas uma obra. “Nós somos contra porque achamos que este investimento não deveria ter sido feito só neste ponto, mas em vários pontos. Rua e calçadas, o povo estar na poeira. Saúde decadente, educação com necessidades”, disse.

Para Uberdan o empréstimo representa uma ação de irresponsabilidade da gestão de Genival Deolino. “O município não tem condições de arcar com este custo. Agora é cômodo para o prefeito contrair um empréstimo que quem vai pagar são os outros. Prejudicando o município em um ato de total irresponsabilidade”, disso o petista.

O vereador Délcio reclamou da falta de apresentação de um projeto de impacto financeiro, além de alegar que o município está em falta com outros pontos, a exemplo da educação, e ainda assim insiste no empréstimo onde o valor será utilizado para apenas uma obra.

“Se a prefeitura me apresentasse um projeto realmente arquitetônico, com impacto de vizinhança, impacto financeiro, se estivesse cumprindo o SIOP (Sistema de Informações sobre Orçamentos Públicos em Educação) da educação, então um município que nem cumpriu isso da educação, um município que na fonte zero gastou mais arrecadou, está mais que claro que o impacto financeiro do município não está condizente para um empréstimo desta magnitude, mas a gente sabe que hoje o prefeito tem dez vereadores na casa legislativa”, explicou Délcio Mascarenhas.

Veja a sessão aqui: