Funcionários de hospital dão vida a super-heróis durante plantões na Bahia: ‘resgate de esperança’

“Batman está sendo chamado no quinto andar. Flash compareça a UTI”. É assim que maqueiros de um hospital na Bahia estão sendo acionados para auxiliar no transporte de crianças dentro da unidade de saúde localizada em Feira de Santana, a cerca de 100 km de Salvador.

A iniciativa começou na quinta-feira (8) e segue até a próxima quinta (15), neste mês que é comemorado o Dia das Crianças.

Durante uma semana deste mês de outubro, esses funcionários, que têm um papel fundamental na rotina hospitalar, “desfilam” com fantasias de super-heróis pelos corredores do Hospital Estadual da Criança, unidade de assistência às crianças de faixa etária entre zero até 18 anos incompletos. A unidade também conta com maternidade no local.

“Os maqueiros se vestem, durante todo o plantão, de personagens de filmes, de revistas em quadrinhos, de super-heróis. A experiência é muito bacana porque as crianças ficam em êxtase em saber que o Thor está levando elas para o centro cirúrgico, que o Homem-Aranha vai levar ele [paciente] para o UTI”, explica Ielma Soares, vice-presidente do grupo de humanização do hospital, responsável pela ação.

Ielma, que também é psicóloga, relata que como o processo de hospitalização é desgastante para as crianças, a ação contribui para o bem-estar e saúde dos pacientes, principalmente neste período de pandemia, onde as visitas estão restritas.

“A gente percebe uma resposta positiva nos aspectos emocionais”.

“Às vezes a criança está no leito, cansada, querendo ir para casa sem conseguir, sem ter alta e, de repente, a gente avisa que vai ter visitas de super-herói. Então elas já mudam um pouco comportamento: ‘tia eu vou tomar banho’, ‘eu vou me arrumar’. E você percebe esse resgate de esperança, de ânimo, de persistência”, explica.

Os funcionários fantasiados é uma forma de deixar as crianças mais próximas de algo que elas gostam de ver, conforme conta Ielma.

“Eles [pacientes] gostam de tirar fotos, se animam e a gente vai ouvindo o dia inteiro os “super-heróis” sendo chamados e transportando as crianças pelos corredores nas macas, em cadeiras de rodas. Isso empolga a todos”, relata

Segundo a vice-presidente do grupo de humanização do hospital, os funcionários também ficam cheios de expectativas com esse momento lúdico do mês de outubro.

“Uma empresa aluga as fantasias por um preço de custo e quando a data vai se aproximando, todo mundo quer escolher sua fantasia”, brinca.

Ielma relata que o projeto existe há cinco anos. Durante esse período, não apenas os maqueiros aderiram às fantasias, todos os funcionários tornavam-se personagens durante uma semana no mês de outubro. Entretanto, o formato do projeto precisou ser modificado este ano, por causa da pandemia.

Fonte: G1




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *