Identificada no Brasil, variante britânica do coronavírus está associada a risco de morte 61% maior, aponta estudo

Foto : Ministério da Saúde/Reprodução

Pacientes infectados com a variante britânica do coronavírus, chamada de B.1.1.7, têm um risco 61% maior de morrer pela doença do que aqueles infectados com outras variantes do vírus, segundo estudo publicado na revista científica “Nature”. A variante já foi identificada no Brasil e circula pelo país.

Segundo a margem de erro do estudo, o risco pode variar de 42% a 82%. A pesquisa foi feita a partir de testes positivos de 2,2 milhões de pessoas entre 1º de setembro de 2020 e 14 de fevereiro deste ano. Entre pacientes com a variante identificada, 4.945 evoluíram para a morte.

“Vários estudos estabeleceram que a B.1.1.7 é mais transmissível do que as variantes preexistentes. Nossa análise sugere que a B.1.1.7 não é apenas mais transmissível do que as variantes pré-existentes do SARS-CoV-2, mas também pode causar doenças mais graves”, dizem os autores na publicação.

*M1