Salvador: 28,5 toneladas de entulho são retirados do local da tragédia

Agentes da Empresa de Limpeza Urbana do Salvador (Limpurb) retiraram, em dois dias, 28,5 toneladas de entulho no bairro de Pituaçu, na rua Alto do São João, local onde um imóvel desabou e deixou quatro mortos da mesma família.

De acordo com a assessoria da Limpurb, na terça-feira (13), dia da tragédia, foram retiradas 20 toleladas, e nesta quarta-feira (14), foram recolhidos 8,5 toneladas.

A empresa informou que 70 agentes, participaram da limpeza do local na terça-feira e 44 profissionais atuaram nesta quarta, divididos nos turnos matutino e vespertino. Os funcionários da Limpurb foram orientados por técnicos da Defesa Civil e pelo Corpo de Bombeiros. Eles realizam a limpeza de maneira manual, devido à dificuldade de acesso ao local.

Ainda não há previsão para a finalização da limpeza do local onde ocorreu o desabamento. Equipes da Secretaria de Manutenção (Seman), Defesa Civil e da Secretaria de Desenvolvimento e Urbanismo (Sedur) estão no local para promover a demolição das estruturas e avaliar as residências em situação de eventual risco de desabamento.

Representates da Secretaria de Promoção Social e Combate à Pobreza (Semps) também está no local para prestar assistência social às vítimas e familiares delas.

Tragédia

Quatro pessoas morreram e três foram resgatadas com vida após desabamento d eprédio em Pituaçu (Foto: Divulgação/SSP-BA)

Quatro pessoas morreram e três foram resgatadas com vida após desabamento d eprédio em Pituaçu (Foto: Divulgação/SSP-BA)

O desabamento aconteceu na Rua Alto do São João, durante uma forte chuva que atingiu a capital baiana. Em cerca de três horas, três bairros de Salvador registraram um índice de precipitação 70% do esperado para todo o mês de março.

Há suspeita de que a construção que desabou estava irregular, segunda informações de Sosthenes Macêdo, diretor geral da Defesa Civil de Salvador.

No imóvel estavam sete pessoas da mesma família. Morreram na tragédia: Rosemeire Pereira de Jesus, de 34 anos, mãe de Robert de Jesus, de 12 anos, e de Artur de Jesus, 1 ano, e irmã de Alan Pereira de Jesus, 31 anos. Eles foram enterrados no Cemitério de Brotas nesta quarta-feira.

As outras três pessoas que estavam no local, sobreviveram. Foram elas: Alex Pereira, irmã de Rosemeire e Alan, a mulher dele, Bianca Menezes, e a filha do casal, Sabrina.

Outros imóveis tiveram a estrutura abalada e precisaram ser demolidos. Sete foram condenados e os moradores tiveram que deixar suas casas. No total, dez famílias tiveram que sair do local. Nesta quarta-feira, cinco barracos já tinham sido demolidos.

*G1