Caso Ba-Vi: Pleno inclui Bahia, aumenta pena de Kanu e suspende Vagner Mancini

O zagueiro Kanu foi o grande punido do julgamento do recurso da confusão do Ba-Vi da primeira fase do Campeonato Baiano. Em sessão realizada pelo Pleno do Tribunal de Justiça Desportiva da Bahia, na noite desta sexta-feira, o jogador do Vitória teve a punição aumentada para 11 jogos – anteriormente eram 10 – mais uma suspensão de 90 dias e multa de R$ 75 mil. Além dele, o técnico Vagner Mancini também foi apenado. O treinador foi suspenso por cinco jogos por causa da acusação de causar o encerramento antecipado da partida. O Bahia, por sua vez, teve sucesso no pedido para ser incluído como parte interessada, enquanto o Vitória teve a multa mantida em R$ 100 mil. Os casos ainda são passíveis de recurso, mas desta vez no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD).

A punição do zagueiro do Vitória, inclusive, já entra em vigor. Com isso, Kanu não pode ser utilizado no jogo de domingo, contra o ABC, pela Copa do Nordeste. A não ser que o Vitória consiga um efeito suspensivo no STJD.

– Já deve cumprir a pena. A única hipótese de não cumprir é de o STJD atribuir efeito suspensivo ao recurso – explicou o presidente do TJD/BA, Hélio Menezes.

Os atletas acusados de agressão – Edson e Rodrigo Becão, pelo Bahia, Denilson, Rhayner e Yago, pelo Vitória – tiveram suas penas de oito jogos de suspensão mantidas pelos auditores. O mesmo aconteceu com o meia Vinícius, que teve pena de dois jogos mantida. O zagueiro Lucas Fonseca, por sua vez, foi punido com uma partida. Tanto o meia quanto o zagueiro já cumpriram a punição e estão liberados para atuar na semifinal do Baiano.

Julgamento do Pleno do TJD foi realizado na noite desta sexta-feira (Foto: Thiago Pereira)

Julgamento do Pleno do TJD foi realizado na noite desta sexta-feira (Foto: Thiago Pereira)

Logo no começo da sessão, o advogado do Vitória Manoel Machado pediu que o auditor Luiz Gabriel Batista fosse declarado impedido por ser sócio de Hermes Hilarião, procurador autor da denúncia no TJD. O pedido foi indeferido, mas o próprio Luiz Gabriel se declarou impedido de votar por suspeição.

O primeiro tópico julgado pelos auditores foi o pedido do Bahia de ser incluído como terceira parte no caso. O recurso do Tricolor foi aceito por unanimidade, o que tornou o clube parte interessada no processo. Na sequência, foi colocado em votação o caso do zagueiro Kanu, que teve a pena em jogos no Baiano aumentada para 11 mais uma suspensão de 90 dias e uma multa de R$ 75 mil.

Os auditores também julgaram o recurso da Procuradoria pela absolvição de Vagner Mancini, Bruno Bispo e Ramon da acusação de encerrar a partida propositalmente. Em relação ao treinador, foram quatro votos por cinco partidas de suspensão e outros quatro por seis. Como o empate beneficia o réu, Mancini está suspenso por cinco partidas. Já os atletas tiveram a absolvição mantida.

O recurso do Vitória para o não pagamento da multa de R$ 100 mil foi rejeitado por unanimidade, enquanto o recurso da Procuradoria, que pediu a exclusão do Rubro-Negro do Baiano, foi rejeitada pela maioria – um auditor votou a favor do pedido do Procurador. A diretoria do Leão terá 15 dias para pagar a multa. O técnico Vagner Mancini e o vice-presidente do Vitória, Francisco Neto, acompanharam o julgamento, mas deixaram o local antes do final e sem falar com a imprensa.

CONFIRA ABAIXO AS PUNIÇÕES DE CADA UM

Vitória
Por envolvimento na briga:
– Kanu: suspenso por 11 jogos do Campeonato Baiano, 90 dias de suspensão e multa de R$ 75 mil.
– Denilson: suspenso por oito jogos do Campeonato Baiano.
– Rhayner: suspenso por oito jogos do Campeonato Baiano.
– Yago: suspenso por oito jogos do Campeonato Baiano.

Por encerrar a partida propositalmente:
– Ramon: absolvido.
– Vagner Mancini: suspenso por cinco jogos do Campeonato Baiano.
– Bruno Bispo: absolvido.

Bahia
Por envolvimento na briga:
– Edson: suspenso por oito jogos do Campeonato Baiano.
– Rodrigo Becão: suspenso por oito jogos do Campeonato Baiano.
– Lucas Fonseca: suspenso por um jogo do Campeonato Baiano.
– Vinícius: suspenso por dois jogos do Campeonato Baiano.

O caso

O primeiro julgamento, realizado pela 1ª Comissão Disciplina, ocorreu no dia 27 de fevereiro. Na ocasião, Mancini voltou a negar ter passado orientações para Bruno Bispo receber o segundo cartão amarelo. O zagueiro Kanu foi condenado a 10 partidas de suspensão pelos socos desferidos em Vinícius durante o clássico. Também por agressão, Edson e Rodrigo Becão, pelo Bahia, Denilson, Rhayner e Yago, pelo Vitória, pegaram oito partidas de suspensão cada.

Pela comemoração após o gol, Vinícius foi suspenso por duas partidas. Bruno Bispo, Ramon, André Lima, o supervisor Mário Silva e o técnico Vagner Mancini foram julgados sob a acusação de encerrar deliberadamente a partida antes do previsto. Todos foram absolvidos. O Vitória foi multado em R$ 100 mil pelo mesmo motivo.

Na mesma semana, Procuradoria, Bahia e Vitória ingressaram com recursos onde questionavam as punições. Os clubes ainda conseguiram efeitos suspensivos para os jogadores. A maioria deles disputou a última rodada da primeira fase do Campeonato Baiano.