Bolsonaro: Flávio ‘não pode ser culpado’ por homenagear milicianos

Foto: Wilson Dias/Agência Brasil
Foto: Wilson Dias/Agência Brasil

 

O presidente Jair Bolsonaro (PSL-RJ) disse que o filho primogênito, o senador eleito Flávio Bolsonaro, não pode ser culpado pelas homenagens que concedeu a acusados de comandar milícias no Rio de Janeiro.

Ao jornal americano Washington Post, Bolsonaro afirmou que Flávio, então deputado na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), fez “mais de 300 diferentes condecorações e títulos de honra” a profissionais de segurança pública. Para o presidente, o filho não poderia ser responsabilizado por duas em que poderia haver irregularidades.

As homenagens, que ocorreram em 2003 e 2004, agraciaram os policiais militares Adriano Magalhães da Nóbrega e Ronald Paulo Alves Pereira. Os dois tiveram mandados de prisão expedido na Operação Intocáveis, acusados de participar de uma das principais milícias do estado.

“Naturalmente, a pessoa que concedeu a condecoração não pode ser culpada”, declarou Bolsonaro.

“Se alguma evidência se tornar disponível contra meu filho, ele será punido como qualquer outra pessoa e cumprirá sua pena”, completou o presidente.