Ex-Odebrecht deve assumir Embasa para aumentar diálogo da empresa com setor privado

O governador Rui Costa (PT) parece ter batido o martelo e escolhido o engenheiro civil Cláudio Villas Boas para assumir o comando da Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa). A indicação foi consolidada em reunião entre nomes do PT na última sexta-feira (29) e contaria com a aprovação do governador.

Nome de fora da área de gestão em água e esgoto, Villas Boas terá como função aumentar a interlocução da Embasa com o setor privado. Nesta segunda-feira (1°), Rui confirmou que adotará Parceria Público-Privada (PPP) para aumentar os investimentos na estatal (lembre aqui).

Além da Odebrecht, Cláudio Villas Boas atuou em outras empreiteiras do ramo da construção civil, como a OAS. Para defender a indicação do quadro contra argumentos de que Villas Boas não conhece o setor em que atuará, petistas já afirmam nos bastidores que a Embasa tem quadros técnicos “consistentes” para garantir o funcionamento. O novo diretor deverá focar em atrair investimentos a empresa.

Na base do partido do governador Rui Costa vence a tese de que o governo de Jair Bolsonaro (PSL) deve congelar verbas para a Bahia e a Embasa deverá contar com capital privado para avançar com seus projetos. Atualmente a Embasa tem economia mista e o Estado como sócio majoritário.

Ao reagir a fala de Rui, o Sindicato dos Trabalhadores em Água, Esgoto e Meio Ambiente da Bahia (Sindae) classificou como “equívoco” o plano do governador de que vai investir nas parcerias público-privadas na Embasa.

*BN