Nasa lança satélite com laser para estudar perda de gelo na Terra

                             Foto: NASA TV/AFP/HO

Um marco histórico foi realizado neste sábado (15) pela Nasa. O satélite com o laser espacial mais avançado foi lançado em uma missão para medir a perda de gelo na Terra e melhorar as previsões sobre o aumento do nível dos mares devido ao aquecimento global.

Envolvido na escuridão antes do amanhecer, o ICESat-2 – que pesa meia tonelada e vale US $ 1 bilhão – foi lançado a bordo de um foguete Delta II da base da Força Aérea de Vandenberg, na Califórnia, às 06h02 local (10h02 de Brasília).

O lançamento marca o fim de quase uma década sem que a Nasa tivesse um instrumento em órbita para medir a superfície do manto de gelo ao redor do mundo.

A missão anterior, ICESat, foi lançada em 2003 e terminou em 2009. Graças a ela, os cientistas descobriram que o gelo marinho estava diminuindo e que a camada de gelo estava desaparecendo nas zonas costeiras da Groenlândia e da Antártica.

Nos nove anos que transcorreram desde então, a missão Operação IceBridge pôs um avião especial para voar sobre o Ártico e a Antártica “fazendo medições de altura e documentando as mudanças no gelo”, indicou a Nasa.

Mas é necessária uma atualização com urgência. A dependência constante da humanidade dos combustíveis fósseis para produzir energia faz com que os gases de efeito estufa que aquecem o planeta aumentem continuamente.

As temperaturas médias globais sobem ano após ano. Como resultado, quatro dos anos mais quentes nos tempos modernos foram entre 2014 e 2017.

A camada de gelo no Ártico e na Groenlândia está afinando, o que se soma ao aumento do nível do mar que ameaça centenas de milhões de pessoas ao longo da costa.

O ICESat-2 ajudará os cientistas a entender até que ponto o derretimento das camadas de gelo está contribuindo para o aumento do nível do mar.