Ex-presidente do Peru, PPK tem prisão preventiva decretada pela justiça

Foto: Guillermo Olivera Díaz / Reprodução

 

Um dos quatro ex-presidentes do Peru investigados no escândalo que envolve corrupção e lavagem de dinheiro ligados a Odebrecht, Pedro Pablo Kuczynski teve a prisão preventiva decretada pelo Poder Judiciário peruano nesta sexta-feira (19).

De acordo com o G1, PKK que atualmente está internado em uma clínica tratando problemas cardíacos, foi ordenado pela Justiça para o cumprimento de 36 meses de detenção.

No Twitter, o perfil do Poder Judiciário do país andino divulgou nota que informava sobre a “prisão preventiva para o ex-presidente Pedro Pablo Kuczynski, investigado por lavagem de dinheiro com agravante de pertencer a uma organização criminosa”.

Pelas leis do Peru, suspeitos de terem cometido algum crime, com potencial possibilidade de fuga ou obstrução das investigações, podem ser detidos por no máximo três anos antes do julgamento.

Presidente do Peru entre 2016 e 2018, PPK é investigado juntamente com Alan Garcia, que cometeu suicídio recentemente, além Alejandro Toledo e Ollanta Humala. Todos os quatro políticos são suspeitos de estarem associados a financiamentos ilícitos feitos pela Odebrecht em suas campanhas eleitorais.

 

*Bahia Notícias