Comandante da Guarda fala do baixo efetivo e solicita realização de concurso em Santo Antônio de Jesus

Comandante da Guarda Municipal alega baixo efetivo e reivindica concurso público. Em contato com o repórter Joselito Fróes, Raimundo Pinto explicou que a situação da guarda ainda é a mesma desde o ano passado. “Vai chegar um dia que se não tiver concurso a nossa situação vai ficar bastante dificultosa. Não vamos poder atender um oficio, temos guardas idosos e um dia vão se aposentar”, disse. De acordo com ele, com base na lei federal 13022, a guarda do município era para ter em média 240 a 300 guardas. “Hoje só temos uns 55, pois seis foram cedidos ao SMTT e cinco estão de férias. Tem o complexo da LBA, todo aberto onde a guarda presta serviço 24h. Fins de semana fica mais crítico com os usuários de drogas, homossexuais, nada contra eles, que ficam praticando atos ilícitos e quando o guarda aborda são xingados. Não tem condições da guarda trabalhar ali”, pontuou.