PF investigará firma que emitiu notas frias ao PSDB em 2002

 O Ministério Público Federal em São Paulo pediu que a Polícia Federal abra um inquérito sobre a Gold Stone Publicidade e Propaganda, empresa fantasma que emitiu notas fiscais frias para o PSDB e para a campanha de 2002 de José Serra, revela reportagem de Leonardo Souza publicada neste sábado na Folha (íntegra disponível para assinantes do UOL e do jornal).

A Receita Federal detectou uma série de irregularidades praticadas pelos representantes da Gold Stone, empresa que nunca foi localizada pelo fisco desde sua criação (1996), nunca recolheu tributos e nunca teve registro na Junta Comercial de São Paulo, onde informou ter sede. Segundo os auditores, a Gold Stone nunca teve existência física, ou seja, é fantasma.

A investigação decorre de um pedido feito na última quarta-feira (20) pelo Ministério Público de São Paulo.

Segundo revelou a Folha no dia 19 de fevereiro, auditores identificaram 15 notas frias, no valor de R$ 1,144 milhão, emitidas por quatro empresas, durante a campanha.