Presidente municipal do PMDB explica porque não houve coligação com o PT

 

“Reconhecemos ainda que fomos derrotados pela vaidade de alguns, pela insensibilidade de outros, que não atentaram ainda, que política para se ter êxito, deve-se construir alianças programáticas, ampliar os limites dos partidos, permitindo o seu crescimento, para não depender sempre de outras legendas para servir-lhe de escada para garantir-lhes espaços”.

Léo, na condição de Presidente Municipal do PMDB, cumpre-nos repudiar de forma veemente, esta noticia postada neste conceituado Blog, de que o nosso partido haveria feito exigências demais, pois a mesma não procede, sendo totalmente inverídica, pois havíamos sugerido apenas que o PT indicasse para compor a chapa majoritária, alguém com densidade eleitoral comprovada pelas urnas, para que tivéssemos uma chapa competitiva.

Quanto aos outros itens elencados como a quantidade de vagas a serem preenchidas pelos partidos, o próprio PT havia solicitado este numero, e finalmente quanto a participação de governo, tanto estadual como municipal, a pauta encaminhada pelo Partido dos Trabalhadores, fora aceita integralmente, pois como um grande Partido Politico, temos a visão de que podemos ganhar as eleições e não estamos perseguindo o objetivo de apenas elegermos algum representante para a câmara, até mesmo porque, isso a nossa coligação já possui.

Gostaria de concluir, informando que o que nos fora proposto momentos antes do prazo para a conclusão da convenção, seria a possibilidade de inversão da chapa, colocando Humberto Leite como candidato a Vice, desrespeitando o combinado sobre a realização de pesquisas, como critério a ser adotado pelos partidos para a escolha da chapa, critério este defendido até por parlamentares Petistas que se pronunciaram sobre a composição aqui em nossa cidade.

Espero estar levando a este conceituado órgão de imprensa as informações capazes de esclarecer aos internautas e a população em geral, sobre o ocorrido e salientando ainda a forma ética e transparente, com que nos comportamos durante todo o tempo em que buscamos exaustivamente manter unida a base aliada do governo estadual. Reconhecemos ainda que fomos derrotados pela vaidade de alguns, pela insensibilidade de outros, que não atentaram ainda, que política para se ter êxito, deve-se construir alianças programáticas, ampliar os limites dos partidos, permitindo o seu crescimento, para não depender sempre de outras legendas para servir-lhe de escada para garantir-lhes espaços.

Léo só lamento é que dentro do coração de vários membros do PT, existia a esperança da realização desta missão, de derrotarmos o partido do DEMO aqui na nossa cidade, banindo de vez por todas este atraso na nossa política municipal, porem projetos pessoais, sobrepuseram este objetivo, que pensávamos ser comum a todos. Àqueles que de forma irresponsável, andam dando declarações desta natureza, e tenho certeza de serem os mesmos membros radicais, que tanto contribuíram, desde cedo para o fracasso desta aliança, prestando este inestimável serviço ao projeto politico do Prefeito Euvaldo e do seu grupo politico, que reflitam e carreguem para sempre na sua consciência o desserviço prestado a nossa cidade.

 GERALDO REIS SOUZA – Presidente do Diretório Municipal do PMDB