Mil impugnações deixadas de lado

Esta semana a rigidez da nova Lei Eleitoral recebeu seu primeiro atenuante oficial. O Supremo Tribunal Federal indeferiu a proposta de juízes da Associação dos Magistrados do Brasil de impedir os candidatos chamados “fichas sujas” de se candidatarem nessas eleições. Muito embora eu seja contra o termo, por considera-lo ofensivo a candidatos contra os quais não existem ainda provas de que realmente tenham cometido ilicitudes uma vez que suas sentenças ainda não foram determinadas, considero que no geral muitos envolvidos em farras com dinheiro público e irresponsáveis na condução de prefeituras ficaram satisfeitos. A AMB, formada em boa parte por novos juízes cheios de boas idéias e intenções louváveis, fez sua parte e bem que tentou impor o peso da lei sobre aqueles que dela tentam escapar, para isso utilizando brechas com a ajuda de espertos com diploma, ávidos por dinheiro e sem qualquer questionamento moral. Foram deixados de lado cerca de mil processos de impugnação que já aguardavam deferimento em todo o país. Para os inocentes, um ato de justiça. Para os devedores, um alívio.