Feira: Diretor de secretaria ligada a prefeitura é indiciado acusado de assédio sexual a mulher

Foto: Reprodução/TV Subaé

O diretor da Secretaria de Serviços Públicos da prefeitura de Feira de Santana, a cerca de 100 km de Salvador, foi indiciado pela Polícia Civil por assédio sexual a uma mulher que havia denunciado ele. O crime aconteceu um dia antes da vítima começar a trabalhar com o suspeito, em outubro do ano passado.

O servidor público Deodato Peixinho foi denunciado pela vítima no dia 14 de outubro de 2019 e, após dois dias, pediu afastamento do cargo. A mulher, que começaria a trabalhar no local quando o fato aconteceu, desistiu do emprego após passar pela situação.

A Delegacia de Atendimento à Mulher (Deam) informou que concluiu o inquérito depois de ouvir várias testemunhas. Ele foi encaminhado para o Ministério Público, que vai analisar o processo e decidir se denuncia ou não Deodato à Justiça.

Caso

Mulher disse que homem a abraçou a força e que tentou beijá-la em Feira de Santana — Foto: Reprodução/TV Subaé

Mulher disse que homem a abraçou a força e que tentou beijá-la em Feira de Santana — Foto: Reprodução/TV Subaé

A vítima contou que tudo aconteceu quando foi até a secretaria pegar o fardamento para começar a prestar serviço.

“Ele começou a me perguntar se eu tinha restrições. Disse que se eu quisesse subir na empresa, eu não tinha que ter restrições. Perguntou da minha aliança, se eu tinha alguma restrição a respeito disso aqui do meu dedo. Aí, depois, ele me perguntou se meu esposo tinha acesso ao meu telefone porque ele queria trocar mensagens comigo”, disse, em entrevista à TV Subaé.

Decidida a desistir do emprego, a vítima contou que resolveu sair da sala, mas que, quando começou a andar, foi abraçada pelo homem.

“Ele falou que antes de eu sair da sala ia me dar um abraço. Foi quando ele me abraçou, me apertando e encostando a parte íntima dele na minha e tentou me beijar. Eu virei o rosto e ele beijou no canto da minha boca”, declarou a vítima.

Ela disse que foi até a secretaria acompanhada do marido, que não estava na sala quando tudo aconteceu. Depois, no entanto, a mulher relatou o que tinha acontecido ao companheiro, que disse ter ficado revoltado. O marido da vítima também presta serviço terceirizado para a prefeitura de Feira de Santana.

“Tive muita raiva, revolta, porque eu entrei na sala e a apresentei dizendo que era minha esposa. Eu saí para atender uma ligação e, simplesmente, como era uma relação de chefe e subordinado, eu achei que era normal os dois já terem um contato no início do trabalho”, disse o companheiro da vítima, que também preferiu não se identificar.

*G1