Vídeo: casarão que desabou parcialmente em Salvador é totalmente demolido

A demolição do casarão que desabou sobre a Ladeira da Montanha, na última terça-feira (18), foi concluída neste domingo (23). A perspectiva é que todo o material projetado para a Ladeira da Montanha e encosta seja retirado com segurança nos próximos dias.

De acordo com o diretor da Defesa Civil de Salvador (Codesal), Sosthenes Macêdo, não tem como precisar o prazo dessa limpeza porque a obra está sendo executada por uma empresa particular, contratada pelo proprietário do imóvel. “A Prefeitura está fazendo o acompanhamento e a fiscalização para que tudo ocorra com segurança”, disse Macêdo. A empresa RNP Engenharia/Neves e Miranda Empreendimentos é que está à frente do serviço de remoção do que restou do imóvel.

Por medida de segurança, a Ladeira da Montanha continuará interditada. O desabamento parcial foi provocado por falta de manutenção predial. Não havia moradores e não houve vítimas. Atualmente, a Codesal tem 1.295 casarões vistoriados e cadastrados, sendo que destes 131 possuem risco muito alto de desabamento ou incêndio. Outros 237 têm risco alto. Deste total, 76% estão ocupados e 24% desocupados.

O casarão desabou parcialmente na tarde de terça-feira (18). Por causa do risco de outras partes do imóvel caírem, a Ladeira da Montanha foi interditada para passagem de veículos e pedestres.

Fonte: Bahia.Ba

View this post on Instagram

O casarão que desabou parcialmente na Ladeira da Montanha, em Salvador, começou a ser demolido na manhã deste sábado (22), segundo informações da Defesa Civil da capital (Codesal). Segundo o órgão, foi iniciada a demolição manual pela manhã e o serviço vai continuar, à tarde, com ajuda de máquinas. Técnicos da Codesal acompanham a demolição, que ficou sob a responsabilidade do dono do imóvel, que não teve a identidade divulgada. O casarão desabou parcialmente na tarde de terça-feira (18). Por causa do risco de outras partes do imóvel caírem, a Ladeira da Montanha foi interditada para passagem de veículos e pedestres. A via só será liberada quando o serviço de demolição terminar.

A post shared by Léo Valente – Blog do Valente (@blogdovalentee) on