Presa por maus-tratos a animais, mulher é solta e tenta provar inocência em Salvador

Presa por suspeita de maus-tratos a animais e exercício ilegal da profissão, a estudante de Medicina Veterinária Zuelia Cordeiro Lopes recebeu liberdade provisória neste sábado (24). O advogado da estudante alega que Zuelia irá provar inocência no caso e demonstrará que atuou como cuidadora de animais no bairro de São Cristóvão.

“Ela fazia um trabalho em cima da omissão do Estado, que deveria cuidar de animais em situação de rua. Se as condições do abrigo não eram as melhores é porque ela é realmente não tinha mais recursos”, explicou o advogado Jorge Ribeiro em entrevista ao G1.

Pessoas da vizinhança e familiares da mulher negaram as irregularidades e apontaram que animais doentes encontrados no local, tinham chegado recentemente à casa, que funcionava como um abrigo para animais abandonados. A defesa diz não saber de onde surgiu a denúncia de maus-tratos.

“A minha cliente é uma cuidadora de animais, gosta de animais. Começou cuidando de 5 e, atualmente, são cerca de 50 cachorros. O trabalho que ela faz é voluntário e reconhecido pela própria comunidade, que leva animais até ela”, relatou a defesa da estudante.

As acusações foram feitas por Emerson França, que se intitula comandante da Brigada K9. A prisão ocorreu em uma ação conjunta do Conselho Regional de Medicina Veterinária da Bahia (CRMV-BA), Brigada K9 do Corpo de Bombeiros Voluntários, Polícia Civil e Polícia Militar. As equipes a encontraram em um imóvel, no bairro de São Cristóvão. No local, foram encontrados mais de 100 animais em condições insalubres.

Emerson relata que as “investigações” começaram há cerca de 3 meses, após denúncias. No entanto, a brigada não tem poder de polícia para instaurar investigações.

BN