Ciclistas comentam dificuldades nas estradas baianas: ‘Às vezes temos que viajar perto da faixa contínua, nos colocando em risco

Um levantamento realizado pela Polícia Rodoviária Federal (PRF-BA) nas rodoviais federais baianas mostra um aumento de 60% no número acidentes envolvendo ciclistas. O estudo compara o número de ocorrências entre janeiro e outubro de 2020 com o mesmo período em 2019. Se usar a bicicleta como meio transporte já é um desafio na cidade, ciclistas relatam apreensão ainda maior com relação às auto estradas.

De acordo com a PRF-BA, a taxa de acidentes envolvendo ciclistas cresceu em rodovias federais que passam pela Bahia. De janeiro até outubro foram registradas 70 ocorrências, sendo 31 graves. Em 2019 foram 58, também com 31 casos mais graves. Também foram registradas 16 mortes em acidentes envolvendo ciclistas. São seis a mais que em 2019, no mesmo intervalo.

O ciclista Elcimar Rocha, 37 anos, começou a andar de bicicleta em 2014. Ele conta que decidiu começar a praticar o esporte como uma forma de lazer, para relaxar e fazer amigos. “Através de uma vizinha que já pedalava eu soube de vários grupos que pedalavam na região de Lauro de Freitas”, conta.

Foi então tomando gosto e em 2015 já participava de competições de ciclismo. No mesmo ano, junto com um amigo que também tinha vontade de fazer percursos mais longos, ele se aventurou em viagens pela recôncavo baiano. Elcimar mora em Lauro de Freitas e já viajou para Santo Amaro, Cachoeira, Maragojipe, Salinas da Margarida e toda região da Ilha de Itaparica.