Mulher mata o marido após ser agredida; caso aconteceu no extremo-sul da Bahia

Roseline disse a policiais que marido chegou em casa alcoolizado (Reprodução/MedeirosDiaDia)

O município de Vereda, no extremo-sul da Bahia, que tem pouco mais de 6 mil habitantes e fica a cerca de 700 quilômetros de Salvador, foi palco de um caso um tanto quanto polêmico nesta semana. Uma mulher de 28 anos, identificada como Rosilene Rosa de Jesus, é suspeita de matar o marido com uma arma de fogo após ter sido agredida por ele com uma faca. O rapaz foi identificado como Marcos dos Anjos Oliveira e tinha 21 anos.

De acordo com informações da 44ªCompanhia Companhia Independente de Polícia Militar da Bahia (CIPM-BA), policiais foram acionados, na noite de quarta-feira (3), para atender a uma ocorrência de homicídio na cidade. No local, ospoliciais constataram o fato: “Havia um homem de 21 anos morto vítima de disparo de arma de fogo”, informou a PM-BA, por meio de nota.

Segundo a polícia, a mulher disse que “estava sendo agredida com uma faca pelo homem e por esse motivo disparou contra o indivíduo”. Como Rosilene estava ferida, a PM afirmou que ela foi socorrida para o hospital da cidade e, em seguida, “foi apresentada à delegacia para adoção de medidas cabíveis”.

Já a Polícia Civil esclareceu que a suspeita foi conduzida à delegacia de Teixeira de Freitas, cidade também ao extremo-sul da Bahia, a 854 quilômetros de Salvador. Ela foi autuada em flagrante por homicídio e está à disposição da Justiça. A perícia ainda não foi concluída. A instituição informou ainda que laudos periciais demoram, pelo menos, 30 dias para ficarem prontos e que não tem mais informações.

De acordo com informações de policiais militares da equipe que foi ao local deram ao site Medeiros Dia Dia, o companheiro chegou à residência alcoolizado e teria atacado Roseline com um golpe de faca no pescoço. Para se defender, a esposa, conhecida como “Pretinha”, atirou em Marcos com uma espingarda da família. Ela disparou uma única vez e a bala atingiu o olho esquerdo do rapaz. O corpo dele foi removido e levado ao Instituto Médico Legal (IML).

Relacionamento abusivo

Uma moradora de Vereda que não quis se identificar revelou à reportagem que o relacionamento dos dois era abusivo. “Ele batia muito nela, era um relacionamento abusivo. O povo da cidade nem ligou que ele morreu, achou foi bom, porque ele batia nela e ia acabar matando se ela não fizesse nada”, contou.

Segundo ela, o marido de “Pretinha” passou o dia todo bebendo em um bar da cidade. “Ele chegou muito bêbado, furou ela com a faca e ela, para se proteger, pegou a arma que eles tinham em casa e matou”, narra a moradora. O casal morava em uma roça afastada da cidade e o marido era de outro município. A moradora disse ainda que Rosilene tem uma filha de oito meses, mas não sabe se o pai é o marido que foi morto.

A própria esposa teria ligado para a ambulância, solicitando atendimento. “Ela ligou para Vereda para a ambulância pegar, porque ela estava sangrando demais. Quando a ambulância foi, já foi junto com a polícia. Fizeram curativo nela e levaram para Teixeira de Freitas”, conclui.

A 8ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior, em Teixeira de Freitas, não atendeu às ligações.

*Correio