Bombeiros realizam operação de combate a incêndios florestais na Bahia

Bombeiros realizam operação de combate a incêndios florestais na Bahia

O Corpo de Bombeiros Militar da Bahia (CBMBA) continua o combate aos incêndios florestais pelo estado, intensificando as ações em 14 cidades do Oeste e da Chapada Diamantina.

A Operação Bahia sem Fogo tem uma estrutura composta por cento e setenta e um bombeiros militares, sete brigadistas voluntários, dez aeronaves modelo air tractor, um helicóptero do Graer/PMBA e um drone fazem parte da estrutura empregada para o combate aos incêndios florestais. Além destes, técnicos do Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema), operam na fiscalização e educação ambiental, e carros tracionados, vans e um caminhão auxiliam as equipes.

Em Barreiras, na localidade de Serra Talhada, a guarnição está atuando no foco principal resfriando e diminuindo a intensidade das chamas. Duas aeronaves dão apoio no combate. Já em Riachão das Neves, os bombeiros realizam o combate direto às chamas, com apoio de aviões.

Em Barra, na comunidade do Igarité, as equipes atuam com o combate direto nos focos, com monitoramento aéreo.  Além delas, as cidades de Ibotirama e Livramento de Nossa Senhora recebem apoio aéreo das equipes da corporação.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública do Estado da Bahia, além destes municípios, Paratinga, Correntina, Cotegipe, Buritirama, Santa Maria da Vitória, Macaúbas, Itaguaçu da Bahia, Iraquara, Andaraí, Iramaia e Campo Alegre de Lourdes recebem a Operação Bahia sem Fogo. As ações dividem-se em combate direto continua, confecção de aceiros e monitoramento de novos focos de incêndio.

Segundo o Corpo de Bombeiros, a principal causa dos incêndios é de origem. Diariamente a população tem sido alertada que a estação atual não é apropriada para a limpeza de pastagem utilizando fogo, assim como queima de lixo e outras atitudes que podem colaborar com o surgimento de incêndios.

“Estamos num período de seca, umidade relativa do ar baixa e muito vento. Dessa forma, os acidentes oriundos da manipulação indevida do fogo podem ganhar proporções gigantescas”, explicou o major BM Márcio Jansen.