Passaporte da Vacina: Circulação de não vacinados poderá ser impedida em Salvador

Circulação de não vacinados poderá ser impedida em Salvador
Em muitas cidades brasileiras já está sendo exigido passaporte da vacina contra Covid-19 para ter acesso a estabelecimentos a exemplo de teatros, museus
Foto.Romildo de Jesus

O pessoal com nome na lista da Secretaria Municipal de Saúde de Salvador que ainda não compareceu às unidades de vacinação para se proteger do novo coronavírus terá em breve mais um motivo para adiantar o lado e se imunizar: a partir de dezembro, a Prefeitura da capital baiana pretende começar a exigir o ‘passaporte da vacina’ para entrada em lugares públicos, deixando os não-vacinados de fora.

A ideia foi expressada pelo gestor Bruno Reis (DEM) à imprensa na sexta-feira (08), em coletiva realizada durante a entrega da geomanta instalada na Fazenda Grande do Retiro. Novembro é o prazo pretendido pelo município para concluir a campanha de vacinação, incluindo a dose de reforço. Segundo a SMS, 80 mil pessoas não apareceram nem para começar o ciclo.

No grupo dos adolescentes de 12 a 17 anos, cerca de 40 mil pessoas não foram conduzidas pelos pais ou responsáveis para receber a sua primeira dose.

“Temos ainda muitas dúvidas, mas temos uma certeza: precisamos nos vacinar. A gente faz um apelo: quem não voltou para tomar a segunda dose, que volte para tomar. Quem porventura não tomou a primeira dose, vá tomar a primeira dose. Quem, porventura, já pode tomar a terceira dose, vão tomar”, apelou Bruno.

A exigência do cartão de vacinação já vinha sendo cogitada para a participação de festas e eventos, e o acesso a locais específicos, como os estádios de futebol. De acordo com o democrata, o ‘passaporte da vacina’ pode funcionar como um incentivo à vacinação, mantendo indicadores importantes como número de novos casos e fator de transmissão em baixa. Como mesmo com todos os apelos ainda há faltosos da vacina, a Prefeitura resolveu adotar medidas que façam mais gente mudar de ideia.

“Uma dessas medidas que podem induzir é restringir o acesso a determinados locais exigindo o cartão de vacinação em dia”, disse o gestor.

A lista de lugares ainda não foi fechada e deve levar em conta os números da pandemia pela cidade. Em Salvador, os bairros de Pituba, Pernambués e Brotas permanecem no topo do ranking de contaminações confirmadas pela Covid, com mais de 5 mil casos cada um.

Ainda que a Prefeitura não tenha oficializado onde a população deverá mostrar o cartão, a exigência deve acontecer em locais de convivência prolongada ou que recebam um fluxo significativo e constante de pessoas, como shoppings e centros comerciais, cinemas, espaços culturais, restaurantes, dentre outros.

Alguns lugares já possibilitam anexar o comprovante da vacinação completa, como é o caso de uma grande rede de academias com dez unidades na capital.

“Tem muita gente, é verdade, que às vezes está sem paciência para ouvir mais sobre pandemia e coronavírus. Mas nós temos ainda esta realidade a ser enfrentada. Precisamos do esforço de todos”, enfatizou Bruno Reis. “Só a vacina vai nos permitir retomar esse dia-a-dia”.

Fonte: Tribuna da Bahia