Polícia Civil da Bahia encerra Operação Resguardo com mais de 200 prisões

Polícia Civil da Bahia encerra Operação Resguardo com mais de 200 prisões

Durante 30 dias, mais de 900 policiais civis dos Departamentos de Polícia Metropolitana (Depom), de Polícia do Interior (Depin), de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e da Coordenação de Polícia Interestadual (Polinter), realizaram as prisões de 267 envolvidos com violência doméstica e familiar, além de outras ações, referentes à segunda fase da Operação Resguardo, coordenada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP), por meio da Secretaria de Operações Integradas (Seopi).

As ações voltadas à operação tiveram início no dia 7 de fevereiro e encerraram nesta terça-feira (8). Foram cumpridos 31 mandados de prisão preventiva, cinco de temporária, além de 231 autuações em flagrante.

Os crimes variam desde ameaças e lesões corporais, até estupro, feminicídios tentados e consumados. No mesmo período também foram solicitadas 983 medidas protetivas de urgência, instaurados 1401 inquéritos policiais e 904 foram concluídos e encaminhados para a Justiça.

A atenção às mulheres também foi intensificada pela Polícia Civil da Bahia com mais de 20 palestras, além de 2.332 atendimentos a vítimas de violência contra mulher. A Operação Resguardo contou com a parceria do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH), responsável pelos canais de denúncias de violências – como o disque 180 e o Ligue 100.

A primeira edição da Operação Resguardo, realizada de janeiro a março de 2021, apurou 51.551 denúncias. Quase 190 mil vítimas foram atendidas, 1.431 solicitações de mandados de busca foram expedidas e mais de 10 mil pessoas presas.