Policiais Civis anunciam paralisação geral a partir do dia 25 de março

Paralisação foi decidida em assembleia realizada nesta terça pela categoria; profissionais cobram aumento de salário e diálogo do governo do Estado

Policiais Civis anunciam paralisação geral a partir do dia 25 de março

Os policiais civis da Bahia vão parar completamente as atividades nos dias 25, 26 e 27 de março, conforme decisão da Assembleia Geral Extraordinária realizada na manhã desta terça-feira (15). A reunião aconteceu na Praça da Piedade, no centro de Salvador.

De acordo com o secretário geral do Sindicato dos Policiais Civis da Bahia (Sindpoc), Marcos Mauricio, a paralisação é uma resposta à falta de diálogo do governo do Estado com a categoria.

Um decisão judicial colocou fim à mobilização que os policiais civis vinham fazendo nas quintas-feiras, quando entravam em 24 horas de paralisação. A medida, no entanto, determinava que o Governo da Bahia comparecesse em reuniões no tribunal a cada 30 dias para conversar com a categoria, o que, segundo o sindicato, não foi cumprido.

A principal reivindicação feita durante os lockdowns da Segurança Pública e também agora durante a greve geral é a reestruturação da remuneração da categoria, que pede reajuste salarial. Além disso, os policiais civis cobram melhores condições de trabalho e da estrutura física para atender à população, e regulamentação de promoções atrasadas.

Na segunda-feira (14), mais de 300 delegados da Polícia Civil decidiram entregar os cargos e suspender as operações policiais por 30 dias.

Deliberações após assembleia realizada nesta terça-feira (15)

Os Policiais Civis presentes no ato votaram o seguinte cronograma:

Sexta-feira (18) – Os policiais irão entregar as chaves das custódias de presos da delegacias do Estado da Bahia, o mesmo ocorrerá com todas viaturas sem condições de uso.

Segunda – feira (21) – Entrega de coletes sem condições de uso e as pistolas Taurus24/7.

Sexta-feira a domingo (25 a 27.03) – entrega das chefias, extras e Greve geral dos Policiais Civis da Bahia, onde não ocorrerá nenhum tipo de serviço.

Além dessas deliberações também foram aprovadas a realização das blitz nas delegacias e a realização de quatro carreatas em Salvador, com data a ser definida.