Investigações indicam possível premeditação na morte da pastora Sara Mariano

Foto: Reprodução

A trágica morte da pastora Sara Mariano pode ter sido meticulosamente planejada um mês antes do crime, revelou o delegado Euvaldo Costa, titular da 25ª Delegacia Territorial (DT/Dias D’Ávila). O marido da vítima, Ederlan Mariano, foi detido na última sexta-feira (27) com uma prisão temporária de 30 dias, sujeita a renovação.

O delegado Euvaldo informou que há indícios de que outras pessoas possam ter participado do crime. “O planejamento da morte da pastora começou um mês antes da execução. Então, é possível que tenha participação de mais autores. Pelas investigações, o planejamento começou em 24 de setembro”, explicou ao Correio da Bahia.

A motivação por trás do crime parece ter raízes em problemas conjugais, segundo apontou o delegado. A polícia confirmou que o marido deletou mensagens do celular da esposa como parte do ocorrido. Até o momento, oito pessoas foram ouvidas durante as investigações.

Devido ao estado carbonizado do corpo da vítima, a causa exata de sua morte ainda não pode ser determinada. Perícias já foram realizadas, e as respostas serão obtidas nos laudos periciais.

O advogado Marcus Rodrigues, representante da família da vítima, revelou que Sara era vítima de várias formas de agressão por Ederlan, incluindo forçar relações sexuais contra a vontade dela. Ele ressaltou a crença da família na hipótese de premeditação do crime, e a investigação está em andamento para determinar a possível participação de outras pessoas.

Rodrigues também mencionou um áudio gravado por Sara, no qual ela expressa preocupações sobre o comportamento do marido, caracterizando-o como uma pessoa nervosa, de temperamento instável e interessada em adquirir uma arma de fogo. Essas informações fortalecem a suspeita de premeditação do crime.



Veja mais notícias no blogdovalente.com.br e siga o Blog no Google Notícia