Caso Hyara: novo laudo aponta que cunhado de 9 anos não efetuou disparo que matou cigana

Hyara Flor foi baleada dentro da casa em que ela morava, em Guaratinga — Foto: Reprodução

A morte da cigana Hyara Flor ganhou um novo desdobramento. Um novo laudo genético concluiu que o tiro que matou a adolescente de 14 anos não foi disparado pelo cunhado dela, um garoto de 9 anos. O resultado anterior, que apontava o cunhado como responsável pelo crime, era contestado pela família e pelo Ministério Público.

O crime aconteceu em julho deste ano, na cidade de Guaratinga, no extremo sul da Bahia. Após a morte de Hyara, a família do marido da vítima fugiu do município.

O pai de Hyara, Iago, divulgou o resultado do novo laudo nas redes sociais. Ele afirmou que não foi encontrado material genético dos sogros e dos cunhados gêmeos da filha na arma do crime.

“Desde o início venho dizendo que o Amadeus matou minha filha. Não foi o cunhado nem os sogros”, afirmou Iago. Ele cobrou da Polícia Civil uma resposta sobre o novo resultado.

O laudo foi realizado pelo Instituto de Criminalística Nina Rodrigues (ICNR), da Polícia Civil da Bahia. O exame analisou as impressões digitais e o material genético presentes na arma do crime.

O resultado do laudo é um importante avanço nas investigações do caso. Ele indica que o tiro que matou Hyara foi disparado por alguém que não era seu cunhado ou seus sogros.

A Polícia Civil ainda não se manifestou sobre o novo laudo.



Veja mais notícias no blogdovalente.com.br e siga o Blog no Google Notícia