Covid-19: Prefeitura de Cruz das Almas admite falha em agendamento de vacinas diferentes: ‘Houve um erro’

Vacinação em posto de drive-thru em Cruz das Almas — Foto: Divulgação/Prefeitura de Cruz das Almas

A prefeitura de Cruz das Almas, no recôncavo baiano, admitiu que houve uma falha da equipe de vacinação, após moradores procuraram postos de para aplicação da segunda dose da vacina AstraZeneca, sendo que tomaram a primeira dose da Coronavac.

As duas vacinas são eficazes no combate à doença. No entanto, o prazo entre as duas doses é diferente – três meses para a AstraZeneca e 28 dias para a Coronavac – e a recomendação das autoridades de saúde é que as pessoas recebam as duas doses do mesmo imunizante.

A Secretaria Municipal da Saúde detalhou que o problema ocorreu com a equipe que vacinava a população nos dias 23 e 24 de março, em posto de drive-thru montado na Praça Sumaúma, no centro da cidade.

Segundo o órgão, os profissionais estavam vacinando com um lote da Coronavac e, após receberem um lote diferente com a AstraZeneca, continuaram agendando no cartão de vacinação o retorno para 28 dias, quando deveria ser de 90 dias.

Ainda segundo a secretaria, a Vigilância Epidemiológica da cidade fez uma busca ativa das pessoas que tomaram a vacina nos dias 23 e 24 de março para que a correção fosse feita e então fosse programado o retorno na data correta.

A prefeitura disse que os profissionais foram advertidos e acrescentou que quem se vacinou nesses dois dias e têm dúvidas sobre a dose que foi aplicada, pode procurar a Vigilância Epidemiológica, na Secretaria da Saúde, pois o órgão tem os dados corretos e atualizados, para prestar todos os esclarecimentos.

Confira a nota da prefeitura de Cruz das Almas

 

“Sobre a situação da falha ocorrida no agendamento da segunda dose da vacina contra a covid-19, no Cartão de Vacinação de algumas pessoas, a Secretaria Municipal de Saúde esclarece: ocorre que as duas vacinas têm aprazamentos diferentes, quem toma a vacina AstraZeneca, deve tomar a segunda dose, do mesmo imunizante, após três meses e já para quem toma a Coronavac, deve tomar a segunda dose após 28 dias.

Houve um erro da equipe que vacinava nos dias 23 e 24 de março, no drive thru da Praça Sumaúma. A equipe estava vacinando com o imunizante Coronavac e após receberem um lote diferente com a Astrazeneca, continuou incluindo no cartão o prazo de 28 dias, quando deveria ser 90 dias.

Ao ser identificado o erro, de imediatamente a Vigilância Epidemiológica fez uma busca ativa das pessoas que tomaram a vacina nos dias 23 e 24 de março, para que fosse feita a correção da data da segunda dose no cartão de vacinação.

É importante informar também que a Vigilância Epidemiológica tem acesso as informações sobre o lote da vacina aplicada e consequentemente, de qual laboratório pertence o imunizante. Desta forma, salientamos que, quem se vacinou nos dias 23 e 24 de março e tem qualquer dúvida sobre a vacina que tomou, deve procurar a Vigilância Epidemiológica, na Secretaria de Saúde para os devidos esclarecimentos.

Vale ressaltar que, a Secretaria de Saúde se reuniu com as pessoas que fazem parte da equipe de vacinação para chamar a atenção sobre a falha ocorrida e evitar que esse erro seja repetido”. 

*G1/BA