Salvador: Ialorixá denuncia escola por impedir que adolescente entrasse no local com roupa religiosa

Ya Ivone Maria é ialorixá de Júlia Almeida — Foto: Arquivo Pessoal

A ialorixá Ya Ivone Maria denunciou que a filha de santo dela, Júlia Almeida Lima, de 13 anos, foi impedida de entrar na Escola Municipal Arx Tourinho, que fica na Ceasa, em Salvador, por está vestida com roupas ligadas à sua religião, o candomblé.

De acordo com a Ya Ivone Maria, que é ialorixá da adolescente, o caso aconteceu na manhã da última quarta-feira (21). Júlia Almeida está em “regime religioso” e foi iniciada no candomblé no dia 5 de julho.

“Na quarta-feira pela manhã, ela foi barrada no colégio, ela está em regime religioso ainda, então ela estava com as vestes, as cordas no pescoço, quelê, e ela foi barrada na porta do colégio”, contou.

Segundo Ya Ivone Maria, a adolescente também estava com um banco, chamado de apoti, porque ela não pode sentar em cadeiras.

“O porteiro não deixou que ela entrasse, porque ela estava vestida dessa maneira e estava com um banquinho, que a gente chama de apoti”.

“Ela levou o banquinho porque ela não pode sentar em cadeira. Ela levou o banquinho dela para assistir aula e ele não deixou ela entrar”, explicou.

A ialorixá de Júlia Almeida contou que a mãe da vítima tentou justificar, mas os funcionários não eixaram que ela entrasse na escola e assistisse a aula.