Europa retoma medidas em tentativa de frear nova onda de infecções da Covid

Países europeus tem reforçado medidas para tentar evitar uma nova alta dos casos de coronavírus. No primeiro semestre do ano os países do continente europeu registraram altas taxas de contágio e os sistemas de saúde ficaram à beira do colapso. Nas últimas semana o continente voltou a registrar os maiores números de novos casos, o que acendeu o alerta.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou nesta terça-feira (13) que 700 mil novos casos foram notificados na última semana na Europa. O número representa uma alta de 34% em relação à semana anterior. Para tentar frear a ascenção de uma nova onda, a França decidiu adotar o toque de recolher nas maiores cidades do país. O anúncio foi feito pelo presidente Emmanuel Macron nesta quarta-feira (14).

Portugal entrará em situação de calamidade a partir da meia-noite desta quinta-feira (15), traz reportagem do G1.De acordo com o portal, o número de novos casos está relacionado com a realização de mais testes. Entretanto, houve crescimento de mortes, ainda que em uma proporção menor, de 16%.

Os médicos alertam que muitas das novas infecções são em jovens, que têm sintomas mais leves da Covid-19. O maior problema, no entanto, é que eles podem transmitir o coronavírus aos mais velhos. Na Alemanha foram proibidas até o fim do ano grandes aglomerações em áreas de alta taxa de infecção; além disso pessoas que chegam de países onde há altas taxas de contágio precisam fazer testes de Covid-19 ao desembarcar e precisam se isolar durante 14 dias; aqueles que forem pegos sem máscara no transporte público ou em lojas podem ser multado em 50 euros.

 

Já na Espanha no dia 9 de outubro, o governo impôs um estado de emergência de 15 dias em Madri; as pessoas não podem entrar ou sair da capital por motivos não-essenciais, mas é permitido ir ao trabalho e à escola; ficou proibido o contato social entre pessoas de áreas diferentes da cidade; Hotéis e restaurantes têm capacidade limitada e precisam fechar às 23h; Eventos familiares e sociais estão limitados a seis pessoas; e máscaras são obrigatórias no transporte público e em locais fechados. As informações são do G1.