Vacina de Oxford deve ser aplicada no primeiro trimestre em dose única

 

Em entrevista exclusiva à CNN nesta segunda-feira (2), Nísia Trindade, presidente da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), afirmou que a fundação tem a capacidade de entregar 220 milhões de doses da vacina fabricada pelo laboratório AstraZeneca, em parceria com a Universidade de Oxford, até o final de 2021.

“Nós temos a capacidade de entregar ao Ministério da Saúde para o Programa Nacional de Imunizações 100 milhões de doses no primeiro semestre de 2021. A nossa expectativa é de 30 milhões de doses no final de fevereiro de 2021”, disse.

“No segundo semestre nós temos a previsão de uma entrega de mais 110 milhões de doses de vacinas, totalizando, portanto, 220 milhões de doses de vacinas no ano”, acrescentou.

Segundo ela, é possível iniciar o programa de vacinação com dose única, apesar de o protocolo ser de duas doses.

“A indicação provável é que a vacina seja em duas doses. No entanto, dependendo das conclusões a partir do estudo da fase 3, é possível iniciar um programa de imunização com uma dose e, num intervalo maior de tempo, [aplicar] uma segunda dose”, explicou.

Isso se deve, de acordo com a presidente da Fiocruz, a uma questão de saúde pública, “que vai privilegiar um alcance de um maior número de pessoas”.

“Mas isso não é possível definir agora. Será uma definição do Programa Nacional de Imunizações a partir do momento que existir publicações e conclusões que permitam que se tenha uma base para isso”.

Fonte: CNN