“Não adianta ficar em casa chorando”, diz Bolsonaro em dia com 1.452 mortes

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) voltou a criticar as políticas de isolamento social e defendeu a volta ao trabalho.

“A vida continua, temos que enfrentar as adversidades. Não adianta ficar em casa chorando, não vai chegar a lugar nenhum. Vamos respeitar o vírus, voltar a trabalhar, porque sem a economia não tem Brasil”, disse o presidente na noite desta quinta (11), durante sua live semanal.

As declarações foram dadas no mesmo dia em que o Brasil divulgou o maior número de mortes pela Covid-19, registradas em 24 horas, em 2021 (1.452 óbitos).

O país chegou a 236.397 mortes causadas pelo coronavírus desde o início da pandemia. Até então, o maior número de óbitos diários em 2021 havia sido registrado em 28 de janeiro (1.439).

A média móvel de óbitos dos últimos sete dias — 1.073 — também é a maior registrada neste ano.

Este é o segundo maior período em que o Brasil apresenta média de mortes acima de mil em toda a pandemia. Ao todo, já são 22 dias. A sequência mais longa ocorreu entre 3 de julho e 2 de agosto (31 dias).

*Bahia.ba