Butantan espera que novo lote de insumos da Coronavac chegue até 15 de maio

Foto : Divulgação

O Instituto Butantan espera receber um novo lote do ingrediente farmacêutico ativo (IFA), necessário para produção da Coronavac no Brasil, até 15 de maio. A chegada do lote até esta data é planejada e programada para que não haja atraso nas entregas de vacinas programadas para a segunda parte do mês de maio. A informação foi dada pela diretora de projetos estratégicos do Butantan, Cintia Lucci, durante coletiva de imprensa nesta quarta-feira (5/5).

“Nossa expectativa é de que o IFA chegue aqui no Brasil até o dia 15 (de maio). Esse é o planejado e programado para que não haja atraso nenhum nas entregas na segunda parte do mês de maio”, disse a diretora ao ser questionada sobre a possibilidade de atraso nas entregas deste mês.

Devido ao atraso da importação da matéria-prima visto anteriormente, o Butantan não conseguiu entregar as 46 milhões de doses ate abril, como estava previsto no contrato assinado com o Ministério da Saúde. Até o final de abril, 42 milhões de unidades da Coronavac foram entregues ao governo federal.

Nesta quinta-feira (6), o instituto paulista retoma as entregas e envia, ao Programa Nacional de Imunizações (PNI), mais 1 milhão de doses da Coronavac. “A gente está finalizando (a entrega de) 46 milhões de doses na semana que vem e já inicia o contrato de 54 milhões, que vai até o final de agosto. […] Amanhã (quinta-feira), a gente faz a entrega de 1 milhão e, semana que vem, entregamos mais 4,1 milhões de doses”, explicou a diretora.

Na próxima semana, o envio dessas 4,1 milhões de vacinas será dividido em três dias. “O Butantan é o único que vem fazendo entregas com uma frequência regular desde o início da pandemia. A gente faz em média duas entregas por semana. Semana que vem a gente vai fazer três entregas”, completou.

Sem previsão

Após a entrega das doses, para continuar a produção, o instituto paulista espera esse novo lote de IFA, que, apesar de prometido até 15 de maio, ainda não tem previsão de chegada no Brasil. Em coletiva de imprensa, na semana passada, o diretor do Butantan, Dimas Covas, informou que aguardava uma posição da Sinovac em relação à entrega.

“Solicitamos, inclusive, um aumento de 3 para 6 mil litros (de IFA) e devemos ter essa resposta brevemente para podermos entrar em um ritmo de produção acelerado”, afirmou Covas.

Fonte: Correio Braziliense