Brasileiros relatam tensão com incêndios na Austrália

 

 

Brasileiros relatam tensão com incêndios na Austrália

Imagem: SAEED KHAN / AFP

Falta de energia elétrica, dificuldade para respirar, comércio fechado e fugas em massa: esses foram alguns relatos feitos à Jovem Pan dos apuros vivenciados por brasileiros na Austrália por causa dos incêndios que assolam as florestas do país.

As altas temperaturas e os ventos fortes, mais de 200 focos de incêndio em Nova Gales do Sul e Victoria, estados do sudeste australiano. Dezenas de milhares de turistas e moradores fugiram das cidades litorâneas nesta quinta-feira (2), após um pedido de evacuação em massa feito pelas autoridades.

O estudante brasileiro Alex Apider, morador de Sidney, pegou a estrada na terça-feira (31) com amigos para viajar cinco horas até a cidade de Mystery Bay, em Nova Gales do Sul. Durante o trajeto, ele já se deparou com focos de incêndio ao longo das rodovias, mas foi quando chegou na cidade foi que os problemas, de fato, começaram.

“Por volta das 6h começaram a bater no camping, onde estávamos, falando que tínhamos duas horas para deixar o local, porque a queimada estava chegando na região. Foi ai que começou uma confusão, todo mundo correndo, arrumando as coisas, o céu vermelho com fumaça. Parecia o fim do mundo. Gerou confusão grande nas estradas, também, porque todo mundo saiu junto do local. Muito trânsito, bombeiros passando toda hora, parecia fim de mundo”, relembra.

A fuga em massa causou um congestionamento nas estradas de entrada e saída de Mystery Bay. Alex e os amigos dele ficaram presos no trânsito por mais de quatro horas quando decidiram parar para descansar em uma cidade no meio do caminho, chamada Uladula.

Lá, a situação piorou. “Fecharam tudo, então muita gente ficou presa dentro dessa cidade. É uma cidade pequena, que não tinha estrutura para suportar a quantidade de gente. Fomos em todos os hotéis da cidade, não achamos nenhuma vaga. Acabou a energia da cidade, o que também gerou uma confusão bem grande, porque não dava para comprar comida, tomar banho, nada”, conta.

Só na madrugada desta sexta-feira (3) que Alex conseguiu sair da cidade e retornar a Sidney.

O estudante Gabriel dos Santos também passou por apertos em uma viagem que fez à Melbourne, cidade litorânea de Victoria, na última terça-feira (31). “É um trajeto que demora oito a nove horas de carro e tanto na ida quanto na volta enfrentamos muitas dificuldades com relação a visão prejudicada, muita fumaça no caminho. Em alguns pontos turísticos havia informações de risco de queimada, também”, disse.

A previsão do tempo aponta que, neste sábado (4), a temperatura na Austrália pode passar dos 40º. O Estado de Nova Gales do Sul declarou estado de emergência e deu permissão às autoridades para retirar pessoas à força das cidades.

A saída em massa das comunidades dos dois estados está entre as maiores da história do país.

 

Fonte Jovem Pan