STJ converte em preventiva a prisão de empresário considerado o ‘homem do dinheiro’ na operação que afastou Witzel

O ministro Benedito Gonçalves, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), transformou em preventiva a prisão do empresário José Carlos de Melo, apontado pela Procuradoria-Geral da República como um dos integrantes da organização criminosa revelada na Operação Tris in Idem, que levou ao afastamento do governador Wilson Witzel (PSC).

Segundo a denúncia, José Carlos de Melo – que está preso desde segunda-feira (31), quando se entregou à Polícia Federal – seria o “homem do dinheiro” do grupo (veja mais no vídeo abaixo).

O empresário chegou a ficar foragido por três dias, desde a prisão, em 28 de agosto, do Pastor Everaldo Pereira, presidente nacional do PSC, e de outras oito pessoas.

Nesta sexta-feira (4), em outra decisão, o ministro Benedito Gonçalves já havia convertido de temporária em preventiva a prisão de Pastor Everaldo (veja mais no vídeo abaixo). Gonçalves atendeu a um pedido da Procuradoria-Geral da República.

Além de ser considerado o homem do dinheiro, ele já foi pró-reitor da Universidade Iguaçu (Unig). Segundo as denúncias do MPF, o empresário seria chefe de um dos três grupos que disputavam poder e obtinham vantagens ilícitas dentro do governo.

O diferencial de José Carlos era sempre possuir dinheiro em espécie. De acordo com a delação de Edmar Santos, ele agenciava as empresas que prestariam serviço para a pasta, recebendo valores em função essa intermediação.

Fonte: G1